quinta-feira, 9 de abril de 2009

Mosteiro Zen de Morro da Vargem, Ibiraçu, ES



A placa acima é do Mosteiro de Morro da Vargem em Ibiraçú, mas a Floresta da Tijuca no RJ, assim como a reserva do Mosteiro capixaba, também já foi um cafezal e, pela ação humana, totalmente reflorestada.
Uma das árvores plantadas pelos monges foi o vinhático que, assim como o pau-brasil e tantas mais, estava considerado extinto.
Vinhático é uma madeira nobre, tipicamente brasileira, daquelas que renderam móveis de família que passam de geração em geração, sobrevivendo à crianças, mudanças e até chuva.

Não importa qual ciclo (café, soja, borracha, cana...) tenha devastado uma região, o quadro sempre pode ser revertido.








Há uns 4 anos, cedi aos apelos de um amigo capixaba que, apesar de querido, é chato e insiste que todos devem conhecer a terra dele.
Ele estava certo, o Espírito Santo vale a pena.
Dos muitos lugares que ele incansavelmente me levou para conhecer, lembro com carinho do primeiro mosteiro zen da América Latina, um lugar lindo e muito preservado, que rendeu fotos incríveis.







Mosteiro Zen de Morro da Vargem em Ibiraçu não é um programa de índio, é uma reserva ambiental com a aurora mais bonita que já vi - acho difícil voltar a encontrar outro lugar onde o sol nasce tão bonito.

O próprio programa de educação ambiental é sério e atende até a PM do Estado, além de crianças da região.

Considerado um Santuário Ecológico, o trabalho dos monges é diário pela recuperação da área. Em 15 anos, eles já plantaram 200 mil mudas de jacarandás, jequitibás, vinháticos e outras espécies nativas de grande porte, que atraíram de volta animais expulsos pelo desmatamento.

São 140 hectares de mata atlântica totalmente reflorestada considerados pela UNESCO como Reserva da Biosfera e, se o Zen não for a sua praia, ninguém te incomoda. Apesar de me identificar com a filosofia, fiquei tão extasiada com o lugar, que passei o dia na mata fotografando.


8 comentários:

Anônimo disse...

Olá. O Mosteiro é realmente um lugar fascinante, e participar de um retiro lá (são 4 ou 5 datas por ano) é uma experiência única para descansar e para entrar em contato consigo mesmo. E, como você disse, se o zen não é sua filosofia de vida, não existe pregação a respeito. vale a viagem, o lugar é maravilhoso e a receptividade, perfeita.

princiabr@yahoo.com.br

Carol Daemon disse...

Oi, assim como você, adoro o Mosteiro Zen, nunca fiz um dos retiros. Mas estou sempre tentando encontrar um tempinho para.
Assim que eu me organizar, te escrevo, quem sabe nos encontramos por la'.
Abs, Carol

Anônimo disse...

Lí esse livro quando era pequeniiha, minha mãe linda me deu! Seu blog é uma gracinha e eu concordo que Gentileza gera Gentileza! Quero que nasçam Floresta onde eu tocar, estou trabalhando pra isso!

Namastê!

Carol Daemon disse...

Oi, seja bem vinda!
Que bom que gostou, apareça sempre.

abs, Carol

Anônimo disse...

Carol, maravilhoso seu texto. simples e profundo. Obrigado!!!! Até mais.Estou de malas para lá...

Carol Daemon disse...

Vá sim, aproveite muito, o lugar é incrível.
abs, Carol

Kobun disse...

Olá, Carol!
Fico feliz por ter encontrado este blog. É incrível!
Sou zen budista, mas nunca tive a oportunidade de ir ao Morro da Vargem. Só ouço falar das maravilhas por lá. A Associação Zen Budista do Rio Grande do Sul tem uma área em Viamão, próxima a Porto Alegre, na qual está sendo construído um mosteiro. Lá também se deseja recuperar a área e transformá-la num lugar especial para todos os seres.
Grande abraço,
Eduarda Kobun (Kobun é meu nome de Dharma).

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Eduarda,
acho que em 3 Coroas tb tem um mosteiro, não?

Beijos,
Carol