domingo, 20 de setembro de 2009

Carta Capital e celulares 6






CELULAR É AMEAÇA À SAÚDE INFANTIL, DIZEM MÉDICOS

Agência EFE – 07/08/2.005. O Colégio de Médicos de Viena advertiu hoje sobre o risco que representa para a saúde das crianças o uso excessivo do telefone celular, devido aos danos provocados pelas ondas eletromagnéticas. Estas considerações foram feitas pelos médicos austríacos ao interpretar o denominado “Estudo Reflex”, no qual se especifica que as radiações dos telefones celulares são genotóxicas (daninhas para o DNA) e potencialmente cancerígenas.
Como primeira medida, o Colégio Médico criou um catálogo de conselhos que especificam a forma de atuar para mitigar o efeito sobre a saúde dos usuários. Assim, os médicos indicam que só se utilize o celular em caso de urgência e por curto tempo.
Os médicos também recomendam que se desligue o telefone à noite, não o deixe perto da cabeceira da cama e não se utilize os jogos destes aparelhos, recomendações também aplicáveis aos adultos.
“Se uma pesquisa mostrasse que um remédio tivesse os mesmos resultados que este sobre os celulares, deveria ser retirado imediatamente do mercado”, declarou Erik Huber, especialista em medicina ambiental do Colégio Médico. “Temos que levar em conta que as crianças são mais sensíveis às radiações do que os adultos, já que os ossos do crânio são mais finos” e os “efeitos genotóxicos” são maiores nas células infantis, acrescentou o especialista.
O Estudo Reflex foi feito a pedido da Comissão Européia e contou com a colaboração de 12 importantes centros de pesquisa de sete países do Velho Continente.
[Tecnologia.Terra.Com.Br]

“CELULARES: RISCO DE TUMOR É MAIOR EM ZONAS RURAIS”
[João Magalhães – Estadão: 17 de Maio de 2.005, terça-Feira]

Risco de câncer no cérebro é maior em usuários de celulares que moram em zonas rurais, diz estudo sueco publicado pela revista médica britânica Occupational and Environmental Medicine Journal.
São Paulo – Pesquisa liderada pelo professor de oncologia Lennart Hardell, do Hospital Universitário de Orebro, na Suécia, constatou que a incidência de tumores cerebrais em usuários de celulares GSM nas zonas rurais do país era maior em comparação com os que não possuíam os aparelhos ou com aqueles que os usavam em zonas urbanas.
Segundo o estudo, publicado pela revista médica britânica Occupational and Environmental medicine Journal, isso se deve ao fato de as antenas transmissoras se encontrarem mais afastadas no campo do que nas cidades, sendo por essa razão mais fortes os sinais emissores das comunicações.
O grupo trabalhou numa região do centro da Suécia, onde cerca de 1.400 adultos de 20 a 80 anos tinham tumores cerebrais – benignos e malignos. O perfile delas foi comparado com os mesmos números de adultos saudáveis, residentes nas mesmas áreas. Os que usavam um telefone GSM por mais de três anos revelaram-se três vezes mais suscetíveis a desenvolver um tumor. Entre os que usaram o aparelho por mais de cinco anos, o risco quadruplicou.
Hardell considera os resultados perturbadores, mas adverte que deverão ser confirmados por amostras mais precisas. A polêmica em torno do assunto é grande. Cientistas franceses e britânicos, por exemplo, não acreditam que os telefones celulares ou suas estações de base causem males à saúde.

“CIENTISTAS DETECTAM RISCO DE CÂNCER ENTRE USUÁRIOS DE TELEFONE CELULAR”
[Jonathan Leake – The Sunday Times, pela Internet, em 07-11-2.005, Segunda-Feira]

Londres – Cientistas descobriram o primeiro indício de uma ligação entre o uso regular de telefones celulares digitais e tumores cerebrais.
Pesquisadores suecos detectaram um aumento de 30% no risco de ocorrência de tumores cerebrais entre usuários regulares, normalmente aqueles que passam mais de uma hora por dia nesses telefones.
Tais tumores ocorrem com mais freqüência do lado da cabeça no qual a pessoa costuma segurar o telefone.
O maior aumento detectado foi de neuromas acústicos, que se formam atrás da orelha e na maioria dos casos podem ser tratados. Os neuromas acústicos geralmente apresentam crescimento lento e podem ser detectados porque provocam zumbido no ouvido e perda de audição.
Mesmo assim, os médicos levam em média dois anos para estabelecer o diagnóstico, e a cirurgia, o tratamento usual, pode deixar como seqüelas nervos danificados que provocam espasmos faciais involuntários.
Já tinha se descoberto que os telefones móveis alteram os mecanismos das células cerebrais e afetam a memória, assim como causam câncer em ratos de laboratórios. Até agora, porém, não havia um elo comprovado com doença humana.
O novo estudo, publicado no International Journal of Oncology (Revista Internacional de Oncologia) analisou 1.600 vítimas de tumor que vinham usando telefones celulares por um período de até dez anos.
O professor Kjell Mild, um biofísico da Universidade Orebro, Suécia, que comandou o estudo disse: -“A prova de que existe uma ligação entre o uso do telefone celular e o câncer é clara e convincente. Quanto mais intenso é o uso e quanto mais tempo você os têm, mais alto o risco de tumores cerebrais”.
No estudo, os cientistas compararam os portadores de tumores com um grupo de pessoas que levavam vida semelhante, mas não usavam telefones móveis. Também fizeram comparações com um grupo de portadores de tumores que não usavam telefones celulares.
Em um estudo anterior conduzido por Mild e Lennart Hardel, um oncologista relacionou tumores cerebrais com o uso de telefones celulares analógicos. A nova pesquisa repetiu isso e também analisou os telefones celulares digitais e os de aparelhos sem fio.

Compre, leia e divulgue o livro:
“O celular e seus riscos”.
Professor Doutor Vitor Baranauskas.
Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação.
UNCAMP.
Av. Alberto Einstein, número 400.
13083-970 – Campinas – SP.


“JOVEM CHINÊS MORRE APÓS EXPLOSÃO DA BATERIA DE SEU CELULAR”

[Yahoo! Notícias Brasil. 04 de Julho de 2.007, quarta-feira]

Pequim, 4 jul (EFE) – Um jovem chinês de 22 anos morreu após a explosão da bateria de seu telefone celular, um Motorola, que estava no bolso de sua jaqueta, informou hoje a agência oficial “Xinhua”.
O acidente, o primeiro desta natureza registrado no país, ocorreu em 19 de junho, quando Xiao Jinpeng trabalhava como soldador em uma fábrica de processamento de minério de ferro no distrito de Jinta, na província de Gansu (noroeste).
O jovem levava o aparelho no bolso de sua jaqueta, perto do peito, e a explosão causou uma fratura em suas costelas, que perfuraram o coração.
Os paramédicos não puderam fazer nada para salvar a vítima.
As primeiras investigações mostram que a bateria do telefone explodiu após ter sido exposta a altas temperaturas, embora não se descartem problemas específicos do modelo como causa do acidente.
Muitos usuários de celulares chineses, que conhecem os acessórios falsos ou de baixa qualidade que circulam no mercado, pediram uma resposta imediata à Motorola – que tem uma grande fábrica em Tiajin (norte) – e às autoridades responsáveis para saber se a explosão foi resultado de defeitos de bateria ou do uso inadequado do aparelho.
A fábrica na qual Xiao trabalhava indenizou sua mãe com US$ 17.763, e um grupo de representantes da Motorola chegará hoje à região para ajudar nas investigações.
A explosão de baterias de celulares é pouco freqüente, segundo Yang Boning, diretor do departamento de relações públicas da Motorola na China.
Yang acrescentou que a companhia leva o acidente “muito a sério” e respeitará os resultados da investigação.


“TELEFONES CELULARES PODEM PROVOCAR CÂNCER, DIZ ESTUDO”

[Yahoo Brasil – Londres, 30 de Agosto de 2.007, quinta-feira]

A exposição aos sinais da telefonia móvel durante apenas cinco minutos poderia estimular um processo de divisão celular, segundo um novo estudo sobre o uso do aparelho publicado no último número da revista “New Scientist”.
Esse processo ocorre de forma natural no crescimento ou rejuvenescimento do tecido humano, mas ocupa também um papel central no desenvolvimento de um câncer.
Uma equipe dirigida pelo professor Rony Seger, pesquisador do Instituto Weizmann de Rehovot, Israel, expor células humanas e de ratos à radiação eletromagnética com uma freqüência semelhante à emitida pelos celulares, mas a um décimo de sua potência.
Após apenas cinco minutos,os pesquisadores identificaram a produção de quinases (tipo de enzima) reguladas por sinais extracelulares (ERK1/2), substâncias químicas naturais que estimulam a divisão e o crescimento celulares.
“A importância real de nossa descoberta é que as células não são imunes à radiação dos telefones celulares, embora não estejam expostas a um aumento de temperatura”, diz o professor Seger, citado hoje pelo jornal “Daily Telegraph”.
“Utilizamos níveis de radiação equivalentes a um décimo dos gerados por um celular comum e constatamos que as mudanças não se devem ao aquecimento”, afirmou o cientista.
Segundo Graham Philips, do Powerwatch, um grupo que analisa o risco potencial dos telefones celulares, as diretrizes oficiais sobre o uso dos aparelhos indicam que a saúde só pode ser atingida em caso de grande aumento da temperatura do tecido humano.
“O novo estudo indica, no entanto, que as reações também acontecem sob o efeito de radiações de nível baixo, o que pode ter implicações para a saúde”, ressaltou Philips.
Outros cientistas, como Simon Cook, bioquímico do instituto Babraham, próximo a Cambridge (Inglaterra), se mostram ais céticos e afirmam que, embora os resultados do estudo sejam interessantes, não demonstram que há uma divisão celular suficiente para provocar câncer.
*
Observação:
Durante décadas houve cientistas que afirmaram que o cigarro provocava cânceres, além de outras doenças. Esses cientistas foram contestados e desmentidos por outros cientistas, que tinham a disposição uma grande mídia na imprensa e diziam que era besteira, que não haviam provas científicas sobre o cigarro provocar tais doenças.
Essa briga entre os cientistas honestos e os demais durou mais de 50 anos! Hoje, após uma explosão monumental de cânceres no Hemisfério Norte do Planeta, principalmente nos Estados Unidos, onde tais doentes acionaram a emprega de Seguro de Saúde, elas “caíram de pau”, em cima da indústria de cigarros e a partir disso, tais fábricas, passaram a mostrar a realidade: cigarros provocam cânceres e outras doenças, inclusive (por exemplo), se os pais fumam dentro do carro com os filhos, esses estão consumindo cerca de 85% das substâncias cancerígenas e podem em muito pouco tempo desenvolverem tais doenças. São os chamados “fumantes passivos”.
O que ocorre na telefonia celular e nas torres de celulares é a mesma briga.
Cabe a você, através do seu nível cultural e não econômico, entender esse processo de disputa econômica das multinacionais de celulares, com os seus cientistas “testa de ferro” de seus interesses, e a realidade científica de fato e não de interesses econômicos.

“CELULAR EXPLODE ENQUANTO CARREGAVA”
MOTOROLA ENVIA APARELHO PARA PERÍCIA; BATERIA É ORIGINAL, DIZ DONA.

[Jornal O Estado de São Paulo: 20 de Setembro de 2.007, Quinta-Feira. Página C-7]

(Ana Carolina Moreno)
Ana Cristina Harumi Oda completa 27 anos hoje. Ganhou um celular, contra a vontade dela. A hoteleira de São Paulo tomou um susto anteontem de manhã quando um “estouro” chamou a atenção dela e das colegas de trabalho. “Quando olhei para trás vi meu celular pegando fogo”, diz a dona, há dois anos, de um aparelho V3 da Motorola.
O celular estava carregando havia 45 minutos a 1 metro dela, na única tomada que também recarrega os aparelhos dos outros funcionários os aparelhos dos outros funcionários da sala. “Ele simplesmente explodiu”, conta Cristina, que garante que, apesar de a bateria não ser mais a de fábrica, está dentro da validade, é original e nunca é recarregada por mais de três meses. “Ele estava em condições ótimas, eu nunca esperava isso”.
No mesmo dia, ela contatou a empresa e recebeu um nov aparelho V3, preto, para usar enquanto o seu passava por perícia. Segundo a Assessoria de Imprensa da Motorola, o aparelho passará por perícia para definir se as causas do acidente envolveram defeito no produto, uso inadequado ou irregularidades na instalação elétrica.
Em 2.004, seis aparelhos da Motorola foram danificados em acidentes parecidos. Cinco casos foram no interior paulista, e um, em Brasília. Segundo a Motorola, em três casos, houve uso incorreto, sobrecarga da rede e bateria falsificada. Em um, a causa não pode ser definida.
Baterias e carregadores passarão por testes específicos de segurança e qualidade, segundo Resolução nº 481 da Agência Nacional de telecomunicações (Anatel), que aprova a Norma para a Certificação e Homologação de Baterias de Lítio e Carregadores Utilizados em Telefones Celulares. “Antes só eram testadas as funcionalidades do celular, a bateria não. Agora serão testadas as baterias e seu funcionamento sob condições adversas”, disse o Superintendente de Radiofreqüência e Fiscalização da Anatel, Edílson Ribeiro dos Santos.


2 comentários:

Anônimo disse...

Olá amigo, vim aqui para deixa o link onde estão todas as obras do Cientista Herbert Alexandre Galdino Pereira da área de Eletromagnetismo Aplicado e Aviónica. Ele é autor da Teoria do Triângulo das Bermudas, Teoria dos Celulares e Eletricidade Estática, e Orientação aos Aviadores Brasileiros ao voarem a Serra do Cachimbo, em Mato Grosso, pois existe campo Magnético na área do Brasil. Entre outras obras.
Deixo o Link aqui em baixo para Leitura e Downloads das Obras deles.
http://www.scribd.com/people/documents/13555060-fuma-a
Um abraço.

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Muito obrigada pela dica, atitude simpática a sua :-)
Vou pesquisar o assunto, grande abraço