sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Porque castrar seu animal de estimação



DEVO CRUZAR MEU CÃO OU MINHA CADELA?

Todo mundo que tem uma fêmea pensa em cruzá-la ao menos uma vez. Ter uma ninhada parece uma coisa legal, mas cuidar de uma ninhada não é tão legal quanto parece. Criar cães envolve muito mais trabalho e responsabilidade do que as pessoas estão dispostas a ter.

Antes de cruzar sua cadela, aqui alguns pontos importantes a considerar:

Será que todos os filhotes encontrarão lares bons e permanentes?
Estatísticas dos Estados Unidos falam que a cada hora nascem cerca de 2500 filhotes e 450 seres humanos. Portanto desde o nascimento, só um em cada quatro filhotes terá chances de encontrar um bom lar. Encontrar um lar permanente é ainda mais difícil somente um em cada 10 cães permanecem com seus donos originais por toda a sua vida. Cinco trocarão de dono antes de completar um ano de vida. E o saldo terminará em abrigos, abandonados ou indesejados. Mesmo que seu cão seja um cão de raça caro, seus filhotes estão sujeitos às mesmas estatísticas. Milhões de cães serão sacrificados anualmente em instituições ao redor do mundo já que não há lares suficientes para abrigá-los. Há tantos animais abandonados hoje em grandes cidades, que os legisladores já pensam em coibir ou limitar drasticamente a criação de cães.

Suas responsabilidades como criador/doador
Você é pessoalmente responsável por cada filhote pelo resto de suas vidas. Sua responsabilidade não cessa no ato da venda/doação do filhote é bem aí que essa responsabilidade começa! Você é que vai ter que saber exatamente onde esses filhotes estarão daqui a seis meses, um ano ou cinco anos, e saber se os mesmos estão recebendo a atenção necessária. Você será responsável por todos os filhotes não vendidos/não doados e receber de volta aqueles que serão devolvidos após terem crescidos e seus donos não mais os quererem. Como somente um em cada 10 filhotes ficará com seu dono original por toda a sua vida, você terá que estar preparado a receber de volta uma boa parte de sua ninhada. A hora de se preparar para isso é agora antes de trazer novos filhotes para esse mundo, não depois. Você terá espaço para esses cães? Terá tempo para cuidar deles? Parece que ter uma só ninhada não terá grande efeito sobre a população canina em geral mas, se sua cadela tiver uma só ninhada de quatro filhotes e cada filhote produzir mais quatro filhotes, em 7 anos teremos 4.000 descendentes!

"Somente uma ninhada" tem sérias conseqüências!
Você terá que aprender a escrever e exigir cumprimento de um contrato que exige que os donos dos filhotes castrem os mesmos. Você tem a responsabilidade perante seus filhotes e seus donos de criar cães os mais saudáveis, física e mentalmente. Todas as raças possuem problemas genéticos e de temperamento específicos que podem ser passados aos seus filhotes. Muitos defeitos hereditários estão "escondidos" apesar de que seu cão possa não apresentá-los, ele poderá estar programado geneticamente a transmiti-los a seus filhotes. Sem exames caros e complexos e um estudo aprofundado de pedigrees, você poderá facilmente estar produzindo filhotes que serão uma dor de cabeça para seus donos e um peso financeiro para você. Criadores sérios avaliam seus padreadores e suas matrizes para encontrar evidências de displasia, doenças oculares, de coração, de tireóide, hormonal, de pele, alergias e problemas de coagulação antes mesmo de pensar em fazer um cruzamento. Como criador você deve estar preparado para dar garantias aos novos donos que os filhotes estão livres das doenças hereditárias típicas da raça quando atingirem idade adulta. Isso pode significar o reembolso de dinheiro daqui a alguns anos ou ter que oferecer um novo filhote sem custo. Com nova legislação, criadores sem experiência poderão estar reembolsando até três vezes o valor recebido hoje daqui a três anos, adicionado de despesas veterinárias, correção monetária e multa. E temperamento também está sujeito a garantias. Você poderá ser processado se o filhote que você vendeu ontem morder alguém amanhã. Você terá que estar presente para dar aos donos conselhos sobre treinamento e comportamento. Você é o "suporte on-line", 24 horas por dia, 365 dias por ano, para os novos donos, e isso pelos próximos 10 a15 anos!

Ter uma ninhada sai caro!
Criar uma ninhada exige um considerável investimento de tempo e dinheiro que certamente não voltará sob forma de lucro. Depois virão os exames pré-natais, ultra-som, exames pós-parto, vacinação e vermifugação, remoção de ergot (5ª unha), alimentação adicional para a mãe, equipamento como caixa de parto, cercado, etc. Partos com complicação são mais comuns do que se imagina(especialmente se for o primeiro parto da cadela). E problemas durante o parto poderão custar a vida da cadela! Você pode calcular uma taxa de mortalidade de 25% para os recém-nascidos, mesmo fazendo tudo corretamente. E defeitos de nascimento como palatos abertos são comuns. Depois disso virão custos para anúncios para a venda dos filhotes. Mesmo criadores de cães campeões raramente obtém algum lucro na sua criação. Pense bem sobre as razões que fazem você desejar criar uma ninhada.


MITOS E CRENÇAS:

"A natureza fez com que os animais procriassem".
Não é mais a natureza que controla a carreira reprodutiva dos nossos animais de estimação as pessoas é que o fazem. A natureza age de maneira bem diferente. No ambiente selvagem a natureza se encarrega que somente os filhotes mais fortes e espertos sobrevivam para criar novos descendentes. E a natureza só permite às cadelas ficarem férteis quando há alimento suficiente e um ambiente seguro, para garantir a sobrevivência da ninhada. Nós humanos permitimos que nossos animais procriem a qualquer tempo, tenham um futuro assegurado ou não.

"Ela precisa ter uma relação sexual"... ou ..."Ele precisa abaixar o facho"
Não!, nos dois casos. O sexo dos animais é controlado por hormônios. Não existe amor, emoção ou pensamento envolvido. Uma fêmea somente "pensa" em sexo quando está no cio e ela esquece isso assim que o cio passa. E os machos somente pensam em sexo ao estarem próximos de uma fêmea no cio. Deixar o macho cruzar não vai "abaixar o facho", vai sim fazê-lo ficar pior. Ficará mais territorial e agressivo perante outros cães, poderá voltar a sujar dentro de casa e poderá ficar incontrolável caso haja uma fêmea no cio próximo à sua casa . O macho que nunca cruzou desconhece e não sente falta de cruzar. "Abaixar o facho", seja de um macho ou de uma fêmea, é questão de maturidade e treinamento e não de cruza. Não existe fundamento na "sabedoria popular" que cães ou cadelas devem cruzar ao menos uma vez antes de serem castrados.

Se algum veterinário der esse conselho, tenha certeza que ele está atrasado no tempo. Pesquisas demonstram que castrar cães ainda filhotes não causa nenhum efeito negativo. Castrar uma fêmea antes do primeiro cio pode prevenir alguns tipos de câncer e infecções urinárias sérias. E castrar um macho não tira sua masculinidade. Muito pelo contrário, esse macho se tornará um animal mais fácil de ser treinado e possibilitará que ele canalize sua energia para atividades mais construtivas.


MOTIVOS EQUIVOCADOS:

"Estamos fazendo isso pelas crianças".
Assistir ao milagre da natureza não é tudo aquilo que se diz. É um acontecimento cheio de sujeira e sangue e quase sempre acontece no meio da noite. É doloroso para a cadela e seu sofrimento pode ser mais do que você deseja que seus filhos assistam. Existem vídeos e livros que mostram às crianças o milagre do nascimento sem os custos e a responsabilidade de criar novos cães.

"Queremos um outro cão igual a este".
Os filhotes terão 50% de chance de puxar traços do outro cão! Seu cão é único e especial. As leis de hereditariedade impedem que dois seres sejam idênticos. A maioria das qualidades que fazem sua cadela tão especial é adquirida, não herdada.

"Queremos ficar com um filhote".
É bem mais barato e mais fácil comprar ou adotar um novo filhote do que criá-lo você mesmo!

"Todos nossos amigos querem um filhote".
Qualquer pessoa que viu sua cadela quando filhote dirá que "um dia" vão querer uma igual. Mas esse dia raramente coincide com a época em que os filhotes estão prontos para ir aos seus novos lares. Você ficará surpreso de quantas pessoas subitamente não tem tempo disponível para um filhote no momento ou não estão dispostas a pagar o preço que você está cobrando. Não conte com promessas vagas! Encontrar lares adequados e donos responsáveis, carinhosos e preparados para ter um cão é mais difícil que parece. Nem todo mundo deve ou pode ter um cão e é impossível saber a diferença entre um bom e um mau dono. Você terá que ter uma grande capacidade de julgamento de caráter e estar disposto a investir tempo considerável para conhecer melhor as pessoas às quais você planeja vender/doar um filhote. Será que eles tem a experiência para CRIAR e EDUCAR um filhote?
"Queremos recuperar o investimento em nosso cão"
Como dito acima, será muito difícil obter algum lucro na criação. Criar uma ninhada certamente resultará em prejuízo. Você provavelmente comprou um cão para ter um companheiro e ter prazer. Mesmo tendo pagado R$500,00 isso é um investimento se somente R$50,00 por ano se o mesmo viver 10 anos, ou seja, menos que R$1,00 por semana. Será que o companheirismo e amor que ele retorna não vale mais do que isso?

Procriar cães é assunto sério! Antes de seguir adiante, visite o Centro de Zoonoses mais próximo à sua casa e veja o que acontece com cães que foram criados por pessoas que pensavam que seria "divertido" ter uma ninhada.

O ""milagre da morte" pela eutanásia é tão educador quanto o "milagre da vida".

A decisão de NÃO cruzar seu animal de estimação é uma das decisões mais inteligentes, educadas e profundas que você pode ter.

Autor do texto original, Dieter Gogarten.

Texto adaptado do Guia Vegano








Devo cruzar meu cão?

A resposta é "Não".

Se você precisa perguntar, então a resposta necessariamente será "NÃO".

Se você cruzar o "seu" maravilhoso cão de raça, na melhor das hipóteses terá um cão com metade" das caracrísticas do seu. E a melhor das hipóteses raramente acontece.
.Algumas perguntas que você deveria fazer a si mesmo antes de cruzar seu cão:
1. Seu cão tem um título?
Ele foi avaliado por juízes em exposições ou provas de trabalho e habilitado a passar um padrão da raça?

2. Seu cão tem a conformação saudável?
Teve as bacias, dentes e olhos checados por um profissional? É um cão saudável e com estrutura correta? Gaste muito com exames para verificar se seu cão PODE cruzar.

3. O teste de displasia está ok?
Foi feita a radiografia e a bacia certificada boa pelas autoriadades certificadoras?

4. O cão tem um bom temperamento?
Um cão não deve cruzar se não for um cão sociável ou se for um cão medroso.

5. O cão tem alguma falha genética?
Nem muitos exames podem detectar falhas genéticas.

6. Você está disposto a perder seu cão por causa do cruzamento?
Doenças fatais podem ser transmitidas na cruza. Algumas cadelas morrem ao dar cria.

7. Você está disposto a ficar com dez filhotes?
Ter uma ninhada não significa que você conseguirá vender os filhotes. E se tiver de dá-los, que tipo de vida esses filhotes terão?

8. Você está disposto a sacrificar um filhote?
Nascem filhotes com 3 pernas, intestinos pendurados para fora e mais um milhão de outras razões para sacrificá-los. Você é capaz de sacrificar um filhote?

9. Você está disposto a receber de volta um filhote maltratado?
Espere que aconteça e reze para não acontecer.

10. Você está disposto a dar uma garantia de saúde?
O que acontecerá se todos os filhotes tiverem uma doença em comum e você receber TODOS de volta com 6 meses de idade?

11. Você fará um passeio num abrigo de cães antes de cruzar?
Porque há excessões mesmo na melhor ninhada, um de seus filhotes pode acabar lá. Infelizmente vivemos numa sociedade em que tudo se descarta.

12. Você tem tempo?
Prepare-se para ter de correr para casa na hora do almoço e ficar acordado até as 2 da manhã por duas semanas para ter certeza que está tudo bem com a ninhada.

13. O seu cão é bom para acasalamento?
Você acha que tem o direito de fazer experiências com seu cão?

14. Você consegue pagar as despesas com veterinário?
São frequentes problemas na gestação e parto.

15. Você realmente quer vender os cães?
Você está regulamentado como criador? Você paga todos os impostos e cumpre todas as exigências legais?


Você certamente não ficará rico considerando as dores de cabeça e as “dores no coração" durante o processo todo. Ótimos cães podem gerar péssimos filhotes! Então, no final, restam apenas algumas palavras de aviso:
1° Seu cão tem mesmo tantas qualidades para ser digno que seus genes passem adiante?

2° Você teria condições de pagar a conta do veterinário no piore dos casos, o risco de morte do seu cão?

3° Você está disposto a gastar tempo e dinheiro para achar os melhores lares para seus filhotes?

4° Você receberia de volta um filhote que foi maltratado e que você amamentou? Porque isso acontece muito! Com tudo isto, a decisão é sua. Você não precisa da permissão de ninguém para acasalar seu cão. Saiba apenas que uma dúzia de filhotes e o seu cão ou cadela podem viver ou morrer, dependendo da sua decisão. Como vê, não há motivos para acasalar seu cão. Mesmo que ele seja de raça e tenha pedigree.
Isto é trabalho apenas para criadores regulamentados, experientes e responsáveis.


Autor do texto original: Dennis Guldan (editor da revista americana Canine Today e da Bird Dog and Retriever News). Textos publicados no site http://www.gatoverde.com.br


Veja este vídeo produzido pela BBC. (47'). O documentário mostra criadores de raças caninas, a omissão do Kennel Club, procriações consanguíneas e doenças derivadas dessa prática como a siringomielia: Segredos do Pedigree



De acordo com a Lei 14483-SP, animais devem estar CASTRADOS antes de doação ou venda. "A castração previne tumores e evita doenças e comportamentos inadequados ao convívio com pessoas e outros animais."

Atente que em 1800, havia somente 20 raças de cães. Durante a 1ª Guerra Mundial já eram 70 e hoje são cerca de 400 raças diferentes. Em 100 anos, reduzimos o cérebro do buldogue, encurtamos as patas do salsicha e turbinamos as orelhas do bassê. Essas mudanças deixaram sequelas: um em cada quatro cães sofre de alguma doença genética e eles têm mais câncer do que os humanos.
Nós criamos essas raças por vaidade, como um resquício nazista numa sociedade supostamente perfeita do ponto de vista genético




Veja onde castrar seu animal gratuitamente




Mais informação:
Microchipei meus cães
Castre seu gato de estimação
Clonagem de cães? O vira-lata é a evolução da espécie!

2 comentários:

Alexandra disse...

Eu nunca tive intenção de deixar meus animais de estimação procriar. Tinha uma cadela que eu cuidava muito, não deixava sair de casa quando estava no cio, etc, mas na época era jovem, não sabia nada sobre castração e não castrei. Bom, fomos passar um fim de semana na casa da minha avó e não sabíamos que a cadela estava no cio. Na casa da minha avó, minha cadela passou um tempo no quintal e sem que víssemos, um cachorro da rua entrou no quintal e cruzou com ela. Ninguém viu na época. Com o tempo ela começou a "engordar"; achei que estava comendo muito mesmo. Mas quando as mamas começaram a crescer desconfiei que ela tava grávida e foi isso mesmo. Fiquei apavorada. Cuidamos com todo o amor, ela teve 4 cachorrinhos - 1 morreu no parto e 3 sobreviveram. Cuidamos com muito carinho, arrumamos lares para todos eles, foi lindo acompanhar tudo isso mas se pudesse voltar atrás eu teria castrado a minha cadela ainda filhote pois foi barra quando os filhotes foram embora. Ela nunca foi a mesma depois disso. Fiz questão de opera-la. Hoje tenho dois gatos de 5 meses e meio. Semana que vem eles vão ser castrados. Jurei a mim mesma que nunca mais tenho nenhum bicho sem castrar.

Minha cunhada tinha uma Yorkshire. A cadela engravidou e faleceu no parto e a filhotinha faleceu pouco depois. Foi um trauma. Não vale a pena. Melhor ter um bichinho só e se quiser mais adotar outros.

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Amém!
Assino embaixo sem alterar 1 vírgula, finalmente alguém a favor :-)