sábado, 21 de agosto de 2010

Entramos no cheque especial





Flavio Vieira cantou a pedra ano passado, no Energia Eficiente
Esse ano, a conta venceu 1 mês antes.
Hoje, a humanidade entrou no cheque especial.


Do ponto de vista da capacidade da Terra em regenerar os recursos naturais utilizados pela humanidade, chegamos ao último dia ano. Chamamos esta data de DIA DA SOBRECARGA DA TERRA, que, infelizmente, cada ano chega mais cedo.
(texto WWF-Brasil)



Ecodebate: Overshoot day 21 de agosto de 2010
Sábado, 21 de agosto, os habitantes da Terra terão esgotado todos os recursos que o planeta lhes proporciona no período de um ano, passando a viver dos créditos relativos ao próximo ano, segundo cálculos efetuados pela ONG Global Footprint Network (GFN).

De acordo com o estudo, “foram necessários 9 meses para esgotar o total do exercício, em termos ecológicos.
A GFN calcula periodicamente o dia em que vão se esgotar os recursos naturais que o planeta é capaz de fornecer por um período de um ano, consumidos pela humanidade, aí incluídos o fornecimento de água doce e matérias-primas, entre elas as alimentares. Reportagem da AFP.
Para 2010, a ONG prevê o ‘Earth Overshoot Day’, ou Dia do Excesso, numa tradução livre, no próximo sábado, significando que em menos de nove meses esgotamos o que seria o orçamento ecológico do ano, revela o presidente da GFN, Mathis Wackernagel. No ano passado, segundo ele, o limite foi atingido no dia 25 de setembro, mas não é que o desperdício tenha sido diferente.
"Este ano revisamos os nossos próprios dados, verificando que, até então, havíamos superestimado a produtividade das florestas e pastos: exageramos a capacidade da Terra” de se regenerar e absorver nossos excessos.
Para o cálculo, a GFN baseia-se numa equação formada pelo fornecimento de serviços e de recursos pela natureza e os compara ao consumo humano, aos dejetos e aos resíduos – as emissões poluentes, como o CO2.
“Em 1980, a nossa “pegada ecológica” foi equivalente a tamanho da Terra. Hoje, é de 50 % a mais, insiste a ONG.
Assim, “se você gasta seu orçamento anual em nove meses, deve ficar provavelmente muito preocupado: a situação não é menos grave quando se trata de nosso orçamento ecológico”, explica Wackernagel. “A mudança climática, a perda da biodiversidade, o desmatamento, a falta de água e de alimentos são sinais de que não podemos mais continuar a consumir o nosso crédito.
Para inverter a tendência, é preciso “que a população mundial comece a diminuir” – um tabu que começa a ser desmistificado pouco a pouco entre os demógrafos e os defensores do meio ambiente, inclusive no seio das Nações Unidas.
“As pessoas pensam que seria terrível mas, para nós, representaria uma vantagem econômica. Mas é uma escolha”, comenta Wackernagel.










Para saber o tamanho da pegada que você deixa no planeta e o quanto pode ser melhorado, faça o teste virtual do My Foot Print

Visite também a página do Ecological Foot Print no Wikipedia e, caso queira aprofundar-se faça também o Footprint da WWF.




















Para por em prática:
Reuse a água da máquina de lavar;
Compre móveis de segunda mão em antiquários ou feiras de rua, monocultura de eucalipto não é reflorestamento;
Use sapatos em couro vegetal ou materiais alternativos;
Recicle os eletro-eletrônicos;
Nos meses de calor, use a energia elétrica de forma inteligente. Não desperdice.
Adote animais de estimação, castre-os adotando ou não;
Compre livros em sebo e roupas em brechó e bazar;
Priorize tudo que for orgânico, agrotóxicos intoxicam a comida, o solo, os lençóis freáticos e até os trabalhadores envolvidos no plantio;
Reduza todos os derivados animais, incluindo mel de abelhas;
Comendo carne, opte pela "verdes" e lembre que do peixe, se aproveita até a cabeça;
Fuja das bebidas prontas, além de cheias de conservantes, hidropirataria é crime, ninguém vê e quem paga a conta final é o consumidor;
Água mineral engarrafada é crime ambiental.;
Recicle tudo, reúse ao máximo, reduza embalagens, cozinhe mais em casa e compre à granel e em feiras de orgânicos;
Atente ao lixo cinza, como fio dental, cotonete, fraldas-absorventes e guardanapo, aparentemente inocentes.
Cosméticos e artigos de higiene pessoal, só os "verdes", não testam em animais, são hipoalergênicos e ainda por cima, biodegradáveis;
A soja não é a salvação da lavoura, muito pelo contrário, sua monocultura transgênica, transformou o cerrado num solo semi-árido e expulsou os pequenos produtores, além de dizimar centenas de espécies animais nativos, que dependiam daquele ecossistema em equilíbrio e ser extremamente tóxica;
Repense todos os materiais e técnicas se estiver construindo ou reformando sua casa, existem centenas de opções sustentáveis para todos os gostos e bolsos, uma ideia boa e simples é adaptar a tubulação da pia à do sanitário e, com isso, economizar e reutilizar águas cinzas.
Priorize transporte coletivo ou vá de bicicleta, caso não seja possível, organize mutirões de carona;
E açúcar mata, devasta quilômetros de mata atlântica nativa para a monocultura da cana, que até hoje emprega mão de obra escrava e infantil.






Filme emblemático e muito palatável: The 11th Hour

O documentário, "The 11th Hour", narrado e produzido por Leonardo DiCaprio, aborda os desastres naturais causados pela própria humanidade. Mostra como o ecossistema tem sido destruído e o que é possível fazer para reverter esse quadro. Entrevistas com mais de 50 renomados cientistas e líderes, como Stephen Hawking e o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev, ajudam a esclarecer essas importantes questões, assim como indicar alternativas possíveis à sustentabilidade.

O filme pode ser encontrado na íntegra no Youtube, mas os links variam, é preciso pesquisar.

Comunidade "The 11th hour action" para discutir soluções sustentáveis para o planeta, criada a partir da temática do filme.

4 comentários:

Flávio Vieira disse...

Oi Carol, tudo bem?
Muito obrigado pelo link e pela lembrança! =)
Beijão!

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Flavio, tudo ótimo por aqui.
um grande abraço,
Carol

Luce disse...

Oi, Carol. vi este chuveiro e lembrei de você. Eu fico doida quando vou a praia e vejo aqueles geradores levando água potável para duchas abertas o tempo todo. Será que funciona?
http://atitudesustentavel.uol.com.br/gadgetverde/blog/2010/06/28/chuveiro-ecologico-que-trata-a-agua-do-mar-e-novidade-no-mercado/

até

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Tomara que funcione, gostei tanto que postei sua dica:
http://caroldaemon.blogspot.com/2010/08/chuveiro-ecologicamente-correto.html