sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A Anistia Internacional e a Sustentabilidade


Para a maioria das pessoas, a Anistia Internacional refere-se exclusivamente aos direitos humanos, através da liberdade de expressão, abolição da pena de morte e sentenças humilhantes, e garantia de acordos internacionais, especialmente os que protejam minorias.

Atualmente, a Anistia Internacional tem ido mais além e seus braços estendem-se pela sustentabilidade, especialmente na América Latina, garantindo às comunidades indígenas e campesinas seus direitos inalienáveis, como posse da terra e condições justas e dignas de sobrevivência, mantendo suas tradições e culturas.

Há quase 10 anos, sou voluntária da RAU - a rede de ações urgentes, por email, da Anistia. É provavelmente um dos voluntariados mais simples que uma pessoa possa fazer. Você só precisa ter um email e saber enviar mensagens. A RAU consiste de lotar as caixas de emails de governantes, diplomatas e jornais locais com mensagens exigindo providências sobre casos específicos.


Alguns exemplos diretos de Ações Urgentes a serem tomadas que impactam igualmente no meio ambiente:

As comunidades peruanas que protestam contra um projeto de irrigação que em sua opinião restringirá o abastecimento de água, correm o perigo de que uma nova lei venha permitir ao exército fazer uso impunemente da força excessiva contra essas comunidades

Aproximadamente 80 membros do grupo indígena Guarani Kaiowá Y’poí no Brasil estão sendo ameaçados por homens armados contratados por fazendeiros locais. Eles estão impedidos de deixar seu acampamento, resultando na impossibilidade de acesso à água, comida, educação e saúde.

O Ministério do Meio Ambiente e Florestas da Índia vetou a expansão do tamanho da refinaria em até seis vezes na área de Lanjigarh proposta pela Vedanta Aluminium, alegando que o projeto violava as leis ambientais do país.


Em tempo, o Brasil é o país com a maior biodiversidade do planeta e o último encontro da ONU para proteção da biodiversidade mundial, terminou com seus líderes em posições divididas.

A Conferência de Nagoia não chegou a lugar algum, leia mais:

"Delegados de quase 200 países passaram duas semanas reunidos em Nagoia, no Japão, para mapear metas de proteção das espécies animais e vegetais em oceanos, florestas e rios, ameaçadas pelo maior ritmo de extinções desde o desaparecimento dos dinossauros, há 65 milhões de anos.
As nações em desenvolvimento também se recusaram a se comprometer com as metas para 2020 se elas não vierem acompanhadas de um novo protocolo da ONU que lhes assegure uma participação mais justa nos lucros obtidos por companhias, especialmente as empresas farmacêuticas, a partir dos recursos genéticos desses países.
Isso poderia gerar bilhões de dólares para as nações em desenvolvimento, onde se encontra a maior parte das riquezas naturais do planeta. Mas há divergências a respeito da abrangência do acordo e sobre como verificar a origem dos recursos genéticos.

- Este não é um protocolo chato. Ele irá regulamentar bilhões de dólares para o setor farmacêutico - disse Tove Ryding, consultor político de biodiversidade e mudança climática do Greenpeace. - Se você não ratifica, se você não está preparado para partilhar benefícios, então não há acesso. Isso significa que o setor farmacêutico não vai entrar na floresta e encontrar novos produtos.

Algumas empresas temem a elevação dos seus custos e a burocratização no processo de registro de patentes por causa desse protocolo, o que prejudicaria as inovações no setor. "



Há mais de 20 anos, foi o papel decisivo da Anistia, pressionando autoridades em todo o mundo, que trouxe o assassinato de Chico Mendes para as primeiras páginas dos jornais brasileiros e assim, o julgamento pôde ser realizado com todos os holofotes da mídia fiscalizando quaisquer abusos e irregularidades.

Talvez seja o momento de brigar mais por Belo Monte, sua floresta nativa que será inundada e seus índios que virão a se tranformar em refugiados ambientais.


Torne-se um voluntário e faça a sua parte, você vai ficar no mínimo mais bem informado.




Mais informação:
Levante sua voz
#LegalizarAborto
RIO+20: as primeiras mortes
Redução da maioridade penal
10 razões para abolir a pena de morte
Porque doar sangue: pontos de doação no RJ
Há 50 anos, o dia que durou 21 anos (e mais 50 filmes)
Cartões de Natal da Anistia Internacional pela liberdade de expressão

Nenhum comentário: