quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Terráqueos



"Se você tiver que assistir a um único filme, assista à Terráqueos.", Peter Singer


Documentários sobre libertação animal e a relação criadouros x natureza nunca são fáceis.
Quando postei sobre os filmes da libertação animal, não conhecia Terráqueos. Uma leitora postou sugerindo o filme e encontrei seu site oficial com link para a versão legendada disponível no próprio site.

De todos os filmes sobre o assunto que já assisti, Terráqueos é o mais completo, cobre todas as classes de animais, mostra: pet shops, castração e criadores, circos, curtumes, pesca de baleias e golfinhos, cosméticos e remédios não testados, as (muitas) questões ambientais e nutricionais, além de informação cietífica sobre o sistema nervoso dos animais para derrubar os mitos correntes, como rodeios, eutanásia de animais domésticos abandonados e pesca oceânica. Narrado pelo Joaquin Phoenix e com trilha do Moby, esse documentário com centenas de imagens e citações de famosos, defende que o planeta Terra apóia-se num tripé: natureza, animais e humanidade. Ao homem, cabe justamente proteger os demais, nunca explorar, afinal pertencemos todos a mesma espécie: terráqueos.



Mais informação:
Zoológicos x Reservas
Circo legal não tem animal
Castre seu animal de estimação
Como funcionam testes em animais
Tartarugas não são animais domésticos
Finning - Até quando teremos esse absurdo?
Neurocientistas de todo mundo assinam manifesto reconhecendo que animais têm consciência
Blackfish, o filme - entenda porque parques aquáticos com orcas e golfinhos deveriam ser fechados

4 comentários:

Anônimo disse...

Este filme é o mais triste que já assisti, na verdade não consegui ver inteiro, é MUUUUUITO impressionante!

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

É sim, mas deviam exibir nas escolas, como forma de educar a população.
Os cães abandonados sendo jogados em caminhão de lixo triturador por falta de abrigo, foi o que mais me abalou.

Mariana MT disse...

Ahh Carol...como eu amo o seu blog.

Assisti Terráqueos, no fim do ano passado. Aquela cena do cachorrinho lançado dentro do caminhão de lixo me faz chorar até hoje. As vacas, compradas na Índia, sofrendo maus tratos bizarros e injustificáveis.

Cenas com as quais eu já estava até habituada, mas que não chocam menos por isso.

Depois de terráqueos assumi um compromisso de não mais me contaminar com essas imagens. Afinal todo o caminho que percorri nesta vida esteve ligado a proteção dos animais e cada cena daquela mina tanto a minha energia e em proporções tão gigantescas.

Fico deprimida e pior...com um ódio tão absoluto do ser-humano...e isso não elimina toda a dor que sentem estes animais em todos os lugares do mundo.

O mais triste é saber que além dos torturados pautados por todos os motivos "aceitos socialmente" como entretenimento, alimentação, vestuário, ciência...o ser-humano ainda se dedica a pior e mais cruel atividade: causar a dor sem motivo ou razão, pelo prazer doentio de torturar. E isso não vai mudar. Monstros e psicopatas todos os dias fazendo vitimas humanas ou não.

Hoje quando descubro, ouço ou vejo alguma história terrível contra qualquer animal, trato de sintonizar a minha energia. Transformar a raiva, revolta, a dor e o ódio que consigo sentir, no amor incondicional que devoto e transfiro para os meus bichos...os poucos que consegui salvar...mesmo sabendo que isso é tão pouco. Estes, que estão comigo, só receberão amor...e assim será com cada um que cruzar meu caminho.

desculpa o desabafo.

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Mariana, eu só consegui salvar 2, minhas vira-latinhas, admiro pessoas como vc, que conseguem resgatar mais. Lembro de qdo adotei a segunda cadelinha, vc ter postado aqui mencionando ter 10 cães resgatados. Um milagre :-)