domingo, 4 de setembro de 2011

Farm City, fazendas urbanas para comprar local, orgânico e justo

A maioria das pessoas acha difícil comprar orgânico, mora em bairros onde não há feiras e reclama (com propriedade) dos preços abusivos cobrados pelos supermercados. As vezes, temos a impressão que vivemos num sistema que se retro-alimenta: tenho um emprego que me paga mal, não me realiza, só me permite morar onde não foi minha primeira opção e assim, perco hrs no trânsito. No final do mês, o dinheiro disponível para o supermercado permite que se compre apenas um mínimo, não o ideal.
A pessoa não consegue sair desse ciclo e não vê como mudar esse quadro.
Novella Carpenter conseguiu, implantou num bairro muito barra pesada o sistema de fazendas urbanas aproveitando cada centímetro disponível. A Farm City está gerando emprego, renda, opção e claro, comida cultivada de forma orgânica em comércio justo e vendida localmente. Melhor impossível.
Visite o blog dela, leia o artigo abaixo e principalmente, leia o livro relatando a experiência.
Acreditando em tudo que leu, replique na sua comunidade e doe uma quantia ao projeto que ela mantém.


Novella Carpenter cresceu no campo, numa fazenda de Idaho e no estado de Washingon, e a paixão pela agricultura foi cultivada desde a infância, graças também às ideias de seus pais, hippies que voltaram à terra na década de setenta.

Ela atualmente vive em Oakland, Califórnia, num bairro barra-pesada, onde voam balas perdidas, e não é raro os vizinhos oferecerem uma pistola para resolver os pequenos problemas cotidianos. Bem-vindos ao bairro de Ghost Town, cheio de prédios caindo aos pedaços, carros velhos e sacos de lixo empilhados pelas ruas, economias paralelas e terrenos baldios. O bairro é habitado por uma humanidade explosiva - comerciantes iemenitas, grafiteiros, prostitutas e traficantes, famílias vietnamitas, adolescentes afro-americanos, monges budistas, panteras negras, jogadores de futebol latino-americanos, moradores de rua, uma mistura de raças, culturas e experiências, um conjunto de "aberrações" que, de certa forma, encontraram uma forma de conviver.

Ninguém apostaria um tostão, e no entanto Ghost Town é também o lugar das grandes oportunidades e dos desafios bem-sucedidos, dos projetos corajosos, dos sonhos de olhos abertos que, às vezes, se tornam realidade. O sonho de Novella Carpenter chama-se Utopia 9.0 e fala de autossuficiência alimentar, conquistada lentamente, subindo de um nível a outro: uma horta para começar, depois uma colmeia, umas galinhas. Chegando aos níveis mais altos, os "super conceitos" que levam à definição de uma autêntica fazenda urbana e de uma essência agrícola total: perus, coelhos, porcos.

Farm City é a história deste sonho, irônica, emocionante, dura, às vezes ridícula. É um depoimento apaixonado sobre a comida local. E é também uma versão culta e original da tradição agrária americana. Wendell Berry convida as pessoas da cidade a cultivar algo para comer «se tiverem um quintal, ou até mesmo apenas uma sacada ou um vaso no peitoril de uma janela onde bata o sol». Novella Carpenter demonstra que esta loucura é possível, revezando sentimentos de cansaço, pequenas conquistas, enormes desilusões e satisfações imensas.


Fonte: Slow Food Brasil
 
 
Outra grande mulher que pôs a mão na massa, Barbara Kingsolver: O mundo é o que você come

 
 
Mais informação:
Flores não são verdes
As frutas que ninguém come mais
Orgânicos podem ser mais baratos
Algumas hortas urbanas pelo mundo
Como comprar e reconhecer produtos orgânicos
O mito do agrobusiness: agronegócio perde em eficácia para agricultura familiar

2 comentários:

Sonia Guzzi disse...

Jé li o livro de Barbara Kinsgsolver- O mundo é o que você come- e gostei muito. Este é um assunto que me interessa e inspira.
Parabéns pelo blog.
Gde abraço, em divina amizade.
Sonia Guzzi

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Sonia,
que bom te ver de volta. Vc e sua forma zen de se despedir.
Eu tb acho essa questão da autonomia alimentar importantíssima. Revolucionária até, pois retira a dependência das monoculturas e agroindústrias.
Abs,
Carol