quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Uma jornada criminosa no McDonald´s: a jornada móvel e variável de trabalho onde se paga menos de R$50,00 mensais a menores e ainda aumenta o rombo da nossa previdência


Uma Jornada Criminosa

A sociedade brasileira precisa tomar conhecimento do escândalo que é a cruel exploração do trabalho de nossos jovens por grupos empresariais que visam assegurar lucros a qualquer custo.

Com esta vídeo-reportagem a opinião pública e as autoridades serão levadas à indignação diante desta grave denúncia, ao mesmo tempo que serão estimuladas a refletir as razões pelas quais ainda convivemos com um quadro repugnante passados dez anos de pleno século vinte e um.

Teria razão a ministra ao questionar a ética na magistratura?

Como se permite criar representações irregulares de trabalhadores com o único intuito de justificar a exploração de jovens em seu primeiro emprego?

Cuidado! Cedo ou tarde, você ou alguém próximo a você também será atingido.

A imagem acima foi retirada do site do Sinthoresp, onde se pode acompanhar em tempo real todas as instâncias do processo contra o McDonald´s - Como o McDonald´s aprisiona mais de 40 mil jovens trabalhadores, em um esquema de trabalho ilegal e exploratório.





McDonald's é convidado a explicar denúncia de trabalho escravo

O McDonald's foi convidado pela Câmara dos Deputados a dar explicações, em audiência pública, sobre a sua política salarial e a jornada de trabalho dos seus funcionários.

O requerimento para a apresentação dos representantes da lanchonete na Câmara foi aprovado na quarta-feira (19), pela CTASP (Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público). A audiência ainda não tem data marcada.

A assessoria do deputado Sabino Castelo Branco (PTB-AM), autor da proposição e membro da comissão, informou que o requerimento foi motivado pelo vídeo Uma jornada criminosa, que circula na internet e em redes sociais - em que o McDonald's é acusado de ter política salarial "análoga à escravidão".

De acordo com o vídeo, a lanchonete pagaria aos seus funcionários R$ 2,52 por hora trabalhada, totalizando salário de cerca de R$ 380 por mês - valor inferior a um salário mínimo [R$ 545], por jornada de 44 horas de trabalho, em que horas de intervalo seriam descontadas à revelia dos funcionários.

O cálculo feito pelo McDonald's é chamado de "jornada móvel e variável" e foi denunciado pelo Sinthoresp (Sindicato dos Trabalhadores no Comércio e Serviços em Geral de Hospedagem, Gastronomia, Alimentação Preparada e Bebida a Varejo de São Paulo e Região) ao TST (Tribunal Superior do Trabalho). A ministra Dora Maria da Costa, relatora do caso, condenou as práticas da lanchonete.

O desembargador Henrique Nelson Calandra, presidente da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros), afirma que "é uma vergonha ter no Brasil focos de trabalho escravo", pois há violação de direitos e garantias básicas dos trabalhadores, segundo registro feito no vídeo.

OUTRO LADO
O McDonald's informou que "realiza o pagamento de todas as horas em que os funcionários estão no restaurante"; que paga o piso salarial determinado por sindicatos, quando cumprida a jornada de 44 horas semanais; e que a jornada de trabalho flexível visa beneficiar funcionários que conciliam o trabalho com horários de estudo.

A empresa ainda declarou que irá apurar casos que fujam a sua política trabalhista --que devem ser considerados exceções.

Por meio de assessoria, o McDonald's afirmou que tem "compromisso em cumprir rigorosamente a legislação trabalhista e segue o que é previsto e reconhecido pela lei".




Dos 10 piores "alimentos" para a saúde, os lanches servidos em redes de fast food constam em quase todos os itens: sorvete industrializado, salgadinho de milho industrializado, pizza pronta, batata frita, batata chips, salsichas, bacon, donuts, refrigerante convencional e dietético.




Mais uma resposta para o rombo da Previdência: o trabalhador recebe menos, a empresa colabora menos e assim, a Previdência recebe menos, mas é obrigada a cobrir a aposentadoria de todos nós.

Quando acreditamos que a Reforma da Previdência deve ser feita sacrificando aposentadorias e pensões, não sabemos que as indústrias, que contam com isenção fiscal por serem cogeradoras de empregos, são na verdade as maiores responsáveis pelo rombo do INSS, já que contribuem financeiramente com uma parte muito menor do que seus efeitos colaterais: as aposentadorias por invalidez e lesões degenerativas que nós, os contribuintes e respectivamente futuros aposentados e pensionistas, temos que arcar.

Nós pagamos 2 vezes por esse flagelo social, no curto prazo, quando arcamos com o prejuízo direto e a longo prazo, quando temos nossos benefícios reduzidos para manter esse sistema destruidor e que se retroalimenta com nossos 5 meses anuais de salário pago em tributos.






 
Mais informação:
Super Size Me: a dieta do palhaço
Farra do Boi na Floresta Amazônica
Carnes Orgânicas, o quê e como comer
Quantos escravos trabalham para você?
Fast Food Nation: uma rede de corrução
A realidade do trabalho escravo no Brasil
Carne certificada pelo Rainforest Alliance não é orgânica
"Carne & Osso" e "Moendo Gente": como a carne chega na bandeja de isopor do mercado
Portal Carne Legal do MP lista frigoríficos irregulares, desmatamento ilegal e trabalho escravo


2 comentários:

Anônimo disse...

Nossa, tô de cara....achava que já sabia o quanto o McDonald's é podre, mas na verdade eu só fazia uma idéia...
Esse esquema desse SindiFast, que absurdo! Já comecei a divulgar com os nomes das empresas que aparecem na página do sindicato, algumas eu já não passava perto há muito tempo. Mas agora minha lista de empresas boicotadas cresceu um pouco mais.

Obrigada pela informação, Carol!
Bjs
Edith

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Servem uma comida que é um lixo e ainda exploram menores. Fundação Ronald é greenwashing e deve contar com isenção fiscal...

Edith, vamos dar um gás na votação do TOPBLOG, que acaba à meia-noite de segunda. Os votos do primeiro turno não valem para o segundo.
Bjs!