sábado, 3 de março de 2012

Na Jureia: a Feira de Sábado

Acontece na linha do trem desativada. Fui acreditando ser feira orgânica, não era, mas valeu pelo passeio.
A barraca de pastéis foi uma descoberta gastronômica e a loja de artigos nordestinos em frente ainda estava aberta, o que possibilitou outras compras.


Perguntei se alguém comercializava orgânicos e um dos feirantes me respondeu que um senhor vendia adubo orgânico, mas que não tinha saída e a barraca havia encerrado. Entendi o recado e segui em frente.



A única barraca de pescado é apoiada pelo governo, fomentando a pesca artesanal e aquicultura familiar. Melhor assim.




















O melhor dessa feira: pastéis gourmet, carne seca com brócolis e escarola "à mineira" com queijo. Ambos estavam excelentes.





O molho vinagrete como tem que ser, com repolho e cenoura fininha, para alimentar mais, reduzir o custo do tomate com cebola-pimentão e ainda ajudar na digestão:




Do outro lado da linha do trem, Casa do Norte Novo Horizonte, que vende a granel artigos nordestinos. Perguntei ao proprietário se conhecia a Feira de São Cristóvão e ele ainda tinha ouvido falar. Precisa ir, como todo mundo, é programa imperdível.


A peça de carne seca inteira, protegida por um tule.


A maior rapadura que eu já vi, Padre Cícero de 1,5kgs. Comprei, estava muito em conta.




Telefone da Casa do Norte: (55 13) 3453-5652


Mais informação:
Rapadura
Compras a granel
Na Jureia: o mercado de peixes da colônia de pescadores

Nenhum comentário: