sábado, 14 de julho de 2012

Como funciona uma estação de tratamento de esgoto





No Brasil, apenas 49% do esgoto produzido é coletado por meio de rede, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Destes, somente 10% do esgoto são tratados. As regiões metropolitanas e grandes cidades possuem extensos volumes de esgoto que é despejado sem tratamento nos rios e mares, desta forma, o resultado é a poluição das águas. A solução é a implantação de uma estação de tratamento de esgoto que remova os principais poluentes presentes nas águas residuárias para que não afetem a qualidade da água.

O esgoto contém nitrogênio e fósforo que, sendo fertilizantes, favorecem o crescimento de algas; o crescimento excessivo das algas pode impedir a penetração da luz do sol e sujar a água. O esgoto contém material orgânico que as bactérias no ambiente começarão a decompor; fazendo isso, essas bactérias consomirão oxigênio da água e a falta de oxigênio mata os peixes. Os sólidos suspensos no esgoto tornam a água escura e podem afetar a capacidade de respiração e visão de muitos peixes. O crescimento das algas, a redução do oxigênio e a escuridão destroem a capacidade de um rio ou lago de manter a subsistência de animais selvagens, e todos os peixes, rãs e outras formas de vida morrem rapidamente.

Tratamento privado: a fossa séptica

Uma fossa séptica é simplesmente um grande tanque de concreto ou aço enterrado no quintal ou em algum outro ponto do terreno. O tanque pode conter 4 mil litros de água. Os dejetos entram no tanque por uma extremidade e saem pela outra.

Uma fossa séptica naturalmente produz gases (causados por bactérias que decompõem o material orgânico nos dejetos) que têm mau cheiro. As pias possuem tubos recurvados chamados de sifões, que se conservam cheios de água na curvatura inferior e impedem o retorno dos gases. Os gases passam por um tubo de ventilação - se você observar a cobertura de alguns edifícios, verá um ou mais tubos de ventilação aparecendo. À medida que a nova água entra no tanque, a água que lá havia é escoada. Essa água sai do tanque séptico em direção a um campo de drenagem. Um campo de drenagem é feito de tubos perfurados enterrados em valas cheias de cascalhos. 


Sistemas de Esgoto Urbano:
É preferível que um sistema de esgoto seja completamente movido à gravidade, como um sistema séptico. Os tubos de cada casa ou edifício seguem para um tubo principal de esgoto que percorre, por exemplo, o meio da rua. O tubo principal pode ter de 1 a 1,5m de diâmetro. Periodicamente, um tubo vertical subirá do tubo principal à superfície, formando um posto de visita, coberto por uma tampa de bueiro. Os poços de visita permitem o acesso ao tubo principal para manutenção.
Os tubos de esgoto seguem para tubos que aumentam gradualmente até chegarem à estação de tratamento de esgoto. Para ajudar a gravidade a fazer seu trabalho, a estação de tratamento de esgoto geralmente fica localizada em uma área mais baixa, e os tubos principais percorrem o leito e fundo do rio (que seguem naturalmente em declive) à estação.
Normalmente, a camada do solo não ajudará muito e a gravidade não poderá fazer todo o trabalho sozinha. Nesses casos, o sistema de esgoto incluirá uma bomba de trituração ou uma estação de elevação para levar a água de esgoto a um morro.

Uma vez que a água chega à estação de tratamento de esgoto, ela passa por um, dois ou três estágios de tratamento (dependendo da sofisticação da estação).
O primeiro estágio, conhecido como tratamento primário, faz o mesmo que uma fossa séptica: permite que os sólidos sejam separados da água e a espuma suba; o sistema coleta os sólidos a serem descartados (em um depósito de lixo ou em um incinerador). O tratamento primário é bastante simples - envolve uma tela seguida por um conjunto de reservatórios ou tanques que deixam a água em repouso, de modo que os sólidos sejam separados.

O tratamento primário pode remover metade dos sólidos, materiais orgânicos e bactérias da água. Se na estação só houver o tratamento primário, a água será clorada para matar as bactérias remanescentes e escoada. O segundo estágio, conhecido como tratamento secundário, remove materiais orgânicos e nutrientes. Isso é feito com a ajuda de bactérias - a água vai para grandes tanques de aeração, onde as bactérias consomem tudo que podem.

Os dejetos, então, vão para tanques de sedimentação, onde as bactérias são depositadas. O tratamento secundário pode remover 90% de todos os sólidos e materiais orgânicos dos dejetos.

O terceiro estágio, conhecido como tratamento terciário, varia dependendo da comunidade e da composição dos dejetos. Tipicamente, o terceiro estágio utilizará produtos químicos para remover o fósforo e o nitrogênio da água, mas também pode incluir tanques de filtração e outros tipos de tratamento. O cloro, acrescentado à água, mata quaisquer bactérias remanescentes, e a água é escoada.
 


Fontes:


Mais informação:

Nenhum comentário: