domingo, 15 de julho de 2012

Microchipei meus cães



Minhas 3 cadelinhas, Olimpia, Margarida e Pipa, foram microchipadas em maio.
As 3 foram adotadas, são vira-latas que estariam na rua, não fosse a adoção.
Castrei e providenciei coleiras com placas de identificação para todas.

A microchipagem não é um GPS, você não consegue rastrear seu cão por ele ter um microchip. A microchipagem é um código de identificação em leitor interno no animal, que é inserido por agulha.  Não incomoda, o microchip com o código individual é do tamanho de um grão de arroz.

Caso o animal microchipado se perca, o dono não vai conseguir encontrá-lo a não ser por vias tradicionais: procurando desesperadamente.
A microchipagem serve para identificar o animal caso o mesmo seja encontrado.
É como ter o número da identidade tatuado, serve para provar que o cão encontrado realmente pertence à pessoa que apresenta o certificado de microchipagem. O código de identificação no papel tem que ser o mesmo da leitora.

O fato de um cão ser microchipado não aumenta suas chances de ser encontrado (ou de escapar de um atropelamento, o destino mais comum), mas aumenta as chances de ser identificado caso o encontrem e resolvem submeter o animal à leitora de microchips.
Cuidado sempre com seu animal de estimação, cães só devem passear na coleira e, caso se percam, podem percorrer quilômetros em questão de horas.


Mais informação:
Fábricas de filhotes
Dica sustentável e veterinária do dia: canela e joelho de boi 
Castre seu cão: 1 único casal gera 80.000.000 de filhotes em 1 década 

Nenhum comentário: