quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A casa sustentável é mais barata - parte 18 (estantes)

O meu assunto favorito em construção sustentável é captação de águas pluviais, ou reaproveitamento de água da chuva, comento acerca na postagem específica. Contudo, na minha opinião, nada é mais divertido em bioconstrução do que estantes feitas a partir de materiais reaproveitados.
Estantes são lúdicas, coloridas, multifuncionais, recicláveis e o que mais você imaginar.
Acredito até que são o tema com maior apelo dessa série sobre a casa sustentável.
Atente que a ideia não é comprar móveis novos, serrar tudo e reproduzir as fotos abaixo. Tampouco correr para um atacadão de madeiras e encomendar muito MDF oriundo de reflorestamento de eucalipto. O que as imagens abaixo tentam mostrar é que qualquer material bem aproveitado pode dar origem a uma nova estante, basta imaginação e boa vontade.

Outros modelos de estantes são encontrados também nas postagens sobre pallets e reels, material de demolição e até na primeira postagem da série, incluindo as estantes usando escadas e caixotes de feiras, que tanta gente gosta.
Hoje, vou me aprofundar pelo prazer de ver esses móveis tão úteis, simples e elegantes em sua forma.
Espero que você goste tanto quanto eu.


O mais trendy, Thomas Wold, reusa móveis antigos, serra tudo ao meio, pinta, reaproveita gavetas em nichos que só ele imagina, joga com balanço e volume. Adoro tudo, até porque ele batiza suas obras com nomes que realmente têm a cara dos móveis.

Vanity e Big Rock Candy:



Shelf Life 4 e 5:



Um modelo infantil e outro adulto, cujos nomes não encontrei:



Encerrando, minhas favoritas, a Blonde e a versão mais famosa dele, com vitrola antiga acoplada. Eu tive uma vitrolinha dessas, de pé de palito, ficava na sala de meu antigo apto e foi comprada por modestos R$200,00 de um catador em seu galpão, a foto está na postagem exclusiva sobre Móveis de Segunda Mão linkada abaixo.




O design clean de Isabel Quiroga, facilmente adaptável para qualquer móvel, levam o nome de Storytellers, pois contam histórias só de olhar, note que ela também mistura estilos e materiais, um arquivo metálico coexiste pacificamente na mesma cor dos móveis em madeira de estilos diferentes:





Outra inspiração, Guy Brown:



Gavetas de origens e formatos distintos, juntas em cores e texturas diferentes, os vãos dão noção de espaço e movimento. Gavetas de arquivos metálicos, normalmente menos enferrujadas do que os arquivos que as comportam, podem e devem ser reaproveitadas.
Perceba também que os puxadores são diferentes entre si, boa forma de reaproveitamento.
As laterais, tampos e bases podem ser em reúso de material de demolição, como portas, janelas ou mesmo outras estantes, fica ainda mais bonito.
Algumas fotos são do estúdio alemão Entwurf-Direkt que reaproveita gavetas antigas em seus móveis.





Estantes personalizadas feitas com material de demolição, madeiras em tamanhos irregulares retiradas de portas, janelas e armários antigos.



Reaproveitamento de tubos de pvc. Não saia correndo para comprar tubos na loja de material de construção mais próxima. Aproveite para pedir os tubos que toda obra descarta como sobressalentes, seu móvel deve ser reciclado de verdade, não apenas ter uma cara "verde" para as visitas.
Dois exemplos do melhor e do pior, tudo pode ser bonito e compor com o ambiente. O segundo exemplo, apesar de bem elaborado, peca pela falta de harmonia no conjunto. Imagino que dormir ao lado desses tubos dispostos dessa maneira e cheios de sapatos usados tampouco deva ser agradável.
Repare na primeira foto que há um calço escorando a base para os tubos não rolarem e a estante ainda divide a sala em 2 ambientes.



 




















Reaproveitando caixas plásticas de feira-supermercado, os 2 primeiros modelos reutilizam móveis antigos com pés de madeira e ferro. O segundo modelo ainda apresenta um gaveteiro em tamanhos variados:





Reaproveitamento de latas de tinta, que são lixo cinza e não reciclam. Com uma furadeira é possível prender qualquer latão de tinta na parada. Muitos galões retangulares formam uma estante igualzinha a qualquer das estantes feitas atualmente em caixote de feira, veja a segunda foto e faça a comparação.























Reaproveitamento de barris de madeira:





Reaproveitamento de estrados de camas chumbados na parede:






Reaproveitamento de garrafas com madeira de demolição, não tente fazer em casa sem os cabos de aço, o vidro não aguenta o peso das estantes sozinho. A primeira foto abaixo não é exatamente uma estante, mas uma divisória sem peso distribuído.


Com cabos de aço suportando e distribuindo o peso:





















Reaproveitamento de guidom de bicicleta, são os alces empalhados do século XXI, sem crueldade animal e estimulando a mobilidade urbana.




A imagem da bicicleta na janela em si também é muito singela, a leveza aliada a iluminação passa a impressão da bicicleta flutuar.












Mais informação:
O mito do reflorestamento de eucalipto
A casa sustentável é mais barata - parte 07 (pallets e reels)
A casa sustentável é mais barata - parte 03 (material de demolição)
A casa sustentável é mais barata - parte 01 (básico de sobrevivência)
A casa sustentável é mais barata - parte 06 (captação de águas pluviais)
Comendo a ração que vende - parte 11: dos móveis que eu catei, restaurei e pintei













3 comentários:

Fernando Carvalho disse...

Carol, querida.
Parabéns pelo seu trabalho. Acabei de votar. Vi e amei o Story of stuff.
Quando estiver no Rio me avise. Gostaria de conhecê-la pessoalmente e queria te apresentar uma pessoa muito especial que é sua fã.
Um abraço
Fernando Carvalho

Livre Ócio disse...

Olá Carol,

Adorei estas ideias!! Meus gatos iriam enlouquecer com as estantes. Te mandei um e-mail para marcarmos um almoço. Pelo meu hotmail. Beijos, Denise.

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Que bom ver 2 pessoas queridas por aqui :-)

Tb quero encontrar vcs, mas estou fora por alguns dias. Assim que voltar, vamos combinar de nos ver sim.

bjs :-)