terça-feira, 14 de agosto de 2012

“Em apenas seis dias, 13 tartarugas marinhas foram encontradas mortas pelas praias de Maceió”

Quando estive na Jureia, passei 10 dias numa praia deserta, o Arpoador, onde todos os dias, enchia sacolas com o lixo trazido pelo mar. No meu primeiro dia como voluntária, recolhi sozinha 8 sacolas com capacidade para 30 litros cada. Descrevo melhor a experiência na postagem "Na Jureia: o Arpoador"
O curioso é que grande parte do lixo era composta de artigos estrangeiros, como garrafas de água mineral ou embalagens de produtos de limpeza muitas vezes escritos em japonês, imagino que de barcos de pesca ilegais (já que o pescado japonês anda cada vez mais raro). Entretanto também encontrava-se uma infinidade de canudinhos plásticos. Especialmente aquele menor, usado em caipirinhas, o que mostra que o turista de cruzeiro faz do oceano uma lata de lixo enquanto bebe no convés.
Os canudinhos devem ser realmente um problema sério em qualquer lugar da nossa costa para que o Projeto Aqualung tenha criado uma campanha voltada especialmente para eles, a "Guerra de Canudos nas praias", o cartaz da campanha também está linkado no final dessa postagem.

Se gosta de Carnaval, como eu, não deixe de ver também a postagem "O mar de licho do Carnaval baiano", linkada em "mais informação" ao final dessa postagem, mostra o mar de lixo que se forma com latinhas, garrafas de cerveja e até camisetas de abadás no fundo do mar em Salvador todo ano após a festa.

Leia melhor sobre as tartarugas abaixo:


“Em apenas seis dias, 13 tartarugas marinhas foram encontradas mortas pelas praias de Maceió. Nove delas de uma mesma espécie”

“Em apenas seis dias, 13 tartarugas marinhas foram encontradas mortas pelas praias de Maceió. Nove delas de uma mesma espécie”, informou o diretor executivo do Instituto Biota de Conservação, o biólogo Bruno Stefanis. A ONG tem a alçada de resgates desses animais mortos e atua na causa do bem estar marinho do estado de Alagoas.
Para o biólogo, esse tipo de divulgação, cada vez mais, vem se tornando corriqueiro em Alagoas, em especial em Maceió onde a ONG atuar com maior eficácia, mas nem por isso nenhum órgão ambiental ou não – do Município, Estado ou União – toma as providências para tentar, ao menos, minimizar o problema.
Acervo Instituto Biota


Tartaruga verde encontrada morta na praia
Só neste mês de agosto — dos dia 2 ao 8 — treze tartarugas marinhas foram encontradas encalhadas mortas e já em estado de decomposição em praias de Maceió, como Pajuçara, Ponta Verde, Riacho Doce, Pontal e Jatiúca.



“Foram nove animais da mesma espécie, tartaruga olivacea, encontradas em poucos dias”, disse a voluntária do Biota, Eri Araújo. Desses nove animais, seis foram encontrados em um único dia, fato que só agrava ainda mais a situação das praias no Estado.

Acervo Instituto Biota












Tartaruga de Oliva encontrada no Riacho Doce


Segundo Stefanis, a causa da morte só pode ser especificada através de necropsia, mas a maioria das tartarugas marinhas morrem ainda dentro do mar e só depois de algum tempo encalham na areia, já em estado de decomposição, o que impossibilita a realização da necropsia. Contudo, em alguns casos em que os animais foram resgatados ainda com vida, mas morreu em reabilitação, o procedimento foi possível e o resultado não foi uma surpresa para os biólogos e veterinários.
“Encontramos bola de sopro, pedaços de plásticos, colher descartável, liga de borracha”, enumerou o biólogo. “Esse tipo de poluição é confundida pelo animal como sendo um alimento, ele ingere e não consegue fazer a digestão, o animal morre asfixiado”, completou Bruno.

No último mês de março, a Câmara dos Vereadores de Maceió anunciou a obtenção de R$2 milhões para o investimento no fim das "línguas negras" nas praias de Maceió, mas até o momento nada foi feito.
Acervo Instituto Biota























Lixo encontrado no estomago de tartaruga.
Acervo Instituto Biota
























Liga de borracha retirada de estômago.






Outras tartarugas e animas marinhos que estão levando a pior:
Plástico é o vilão dos mares
Guerra de canudos nas praias 
Uma tartaruga só não faz verão
O mar de lixo do Carnaval baiano
Tartarugas não são animais domésticos
"Infelizmente nenhum dos filhotes sobreviveu"
Os 10 principais animais ameaçados de extinção
Para onde vai o lixo que é jogado na praia ou no mar

3 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia Carol!
Agora pouco vi um vídeo no youtube - discurso do Presidente do Uruguai Rio + 20 - achei lindo e lembrei de você. Tomo a liberdade de colocar o link: http://www.youtube.com/watch?v=zsOGZKRVqHQ.
Sei que o comentário não tem nada a ver com o post, mas me emocionei e fiquei feliz de ver um governante pensar desta maneira.
Obrigada por fazer este blog. Nos abre a mente.
Abraços,

Henriqueta.

Paula Calixto disse...

Muito boa matéria! Fico muito preocupada com o descaso das pessoas. E o pior é que não falta orientação... essa falta de educação me deprime!

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Paula, sempre à ordens!

Oi Henriqueta, adorei o vídeo.
Eu escrevi um pouco sobre o Paraguai lá na postagem da Cúpula dos Povos, "RIO+20: a cúpula dos povos". Tem uns links interessantes tb.

abs e apareçam,
Carol