sábado, 13 de outubro de 2012

Comendo a ração que vende - parte 03: estante de livros em caixotes de feira



Ela começou modesta e experimental, eu estava focada mesmo nos caixotes frágeis e gratuitos da mesinha de cabeceira, nas muitas possibilidades de cor e formato.
Por curiosidade comprei 3 caixotes de feira do modelo mais resistente. Como precisava dos mais frágeis (gratuitos) para a mesinha de cabeceira, levei a R$10,00 um trio dos mais resistentes e empilhei num canto pensando no que fazer. Gostei do lay out e na parte da tarde, voltei na mesma feira para levar mais 3 caixotes reforçados a R$10,00.



A confecção da mesinha de cabeceira levou alguns dias. Uma tarde para pintar tudo, 24hrs para esperar secar. Outro dia para dar as 2 mãos na parte interna e mais 24hrs, esperando a parte interna secar. Por via das dúvidas, deixei 48hrs de espera nessa segunda etapa.

Então, minha estante de livros ficou esperando sua vez.




Com o tempo, fui vendo que apenas 6 caixotes maiores seria pouco para acomodar todos os meus livros. Deixei para buscar outro trio, ou outros se fosse o caso na semana seguinte e afinal, eu andava ocupada com as obrigações da mudança, que são sempre muitas.

Na véspera da feira da rua, resolvi arrumar os caixotes ao largo (até então estavam empilhados, para ver quantos caberiam na parede escolhida. Deu para fazer uma alinhar quatro, que formariam então pilhas de 3, num total de 12 caixotes. Se eu já tinha 6 da semana anterior, não precisaria então de mais um trio, mas de 2, mais 6 caixotes.

No dia da feira, acordei cedo e fui ao mesmo feirante pedindo mais 6 caixotes, que ele me vendeu prontamente. Me ajudou a trazer em casa e adorou a ideia da estante. Mostrei a mesinha de cabeceira pintada e ele sorriu como quem reconhece um velho amigo "caixotinho de tomate pintado... ficou bom!"
A estante de livros então ficou pronta ao custo de R$40,00 os 12 caixotes em 4 pilhas de 3. Mas ainda não era o que eu queria... As caixas grande comportavam bem os livros, mas e as miudezas que normalmente acomodamos nas gavetas?


Pensei em gavetas de cozinha, com suas divisórias, como seria para adaptar na parte de cima de uma caixa de feira?
A resposta estava no quarto ao lado, peguei uma das caixas menores e mais frágeis da mesinha de cabeceira, já pintada de azul, e coloquei por cima da estante como um módulo auxiliar "vendido à parte" em lojas de modulados.




Encaixou e ficou esteticamente interessante, o azul royal contrastando com a rusticidade da madeira crua, os formatos diferentes e até a possibilidade de pintar cada novo caixotinho de uma cor, que eu viria a descartar.







Esperei então a semana seguinte para na mesma feira, pegar mais 4 caixotinhos mais frágeis (gratuitos), pintar tudo e então empilhar sobre a minha estante de livros.
Quando secou, arrumei e ficou exatamente o que eu queria.



O custo da estante de livros é de R$40,00, o do módulo azul, de R$26,00 (as 2 latas de tinta azul, lembre que as caixas menores são de graça).



Eu gosto das imperfeições, deixo a mostra propositalmente. Também acho interessante a diferença de formatos e tamanhos entre as caixas, não fica parecendo um monolito pesadão, traz leveza e balanço, parece que o móvel está em movimento.



À noite, quando passei pela rua e vi tantos caixotes abandonados em meio à xepa da feira, enxerguei o lixo urbano que tanto nos incomoda, como uma fonte de recursos inesgotável.



Mais informação:
A casa sustentável é mais barata - parte 18 (estantes)
A casa sustentável é mais barata - parte 07 (pallets e reels)
Comendo a ração que vende - parte 01: mesinha de cabeceira em caixote de feira

Nenhum comentário: