sexta-feira, 7 de junho de 2013

Ascobike, o maior bicicletário das Américas logo ali em Mauá (SP)



Não me lembro quando e tampouco em quais circunstâncias, recebi o Manual do Ciclista Urbano da ASCOBIKE, mas lembro que o impacto foi imenso, por agregar numa única iniciativa quase tudo que acredito ser sério e fundamental em termos de cidadania, urbanismo e mobilidade urbana.

Um bicicletário contíguo a estação ferroviária, que funciona 24hrs por dia, sete dias por semana, a baixo custo em modelo de associação cooperativada, proporcionando também a seus associados, além dos serviços óbvios, como banheiros feminino e masculino, serviço de manutenção das bicicletas e água e cafezinho gratuitos, mas também plano de saúde, atendimento jurídico e serviço social.

Um bicicletário nunca é apenas um bicicletário, veja na minha foto abaixo, como o fato de um operário usar sua bicicleta, reduz em até 6 conduções diárias no mesmo trajeto, que em outras condições, teriam sido feitas de ônibus ou veículo próprio - o que diminui a qualidade de vida dessas pessoas em tudo, já que esse trajeto pedalando pode ser a única atividade física que praticam e a própria adoção de veículo consome combustível fóssil, emite CO2, torna o trânsito pior, estressa as pessoas e leva a uma reação em cadeia que não nos faz mais felizes.




O bicicletário, que começou com aproximadamente 200 bicicletas, atende hoje 1700 usuários diariamente e é o maior bicicletário das Américas!

A ASCOBIKE é além de um bicicletário, um meio para promover o uso da bicicleta como alternativa de transporte para o morador da cidade de Mauá, e se tornou também um ponto de referência no município. A ASCOBIKE promove o uso da bicicleta como meio de transporte economicamente viável, socialmente justo e ambientalmente correto, ou seja, um meio de transporte sustentável.



A ASCOBIKE funciona 24 horas por dia e 365 dias por ano. A oficina da ASCOBIKE oferece aos associados os serviços de manutenção e revisão de bicicletas por um valor sempre menor do que o praticado no mercado, banheiro feminino e masculino, vagas de mais fácil acesso à mulheres e idosos, empréstimo de bicicletas, água e café em cortesia, caixa de engraxate para os que se sujarem pelo caminho, plano de saúde corporativo em valor abaixo do mercado, atendimento jurídico e prestação de assistência social.

O bicicletário de Mauá é mantido com recursos próprios da associação, advindos da mensalidade paga pelos usuários associados. Com a parceria, a CPTM cedeu o local para a construção do bicicletário e construiu o novo galpão com capacidade para 2.000 bicicletas.
A associação conta hoje com aproximadamente 1.700 associados e existem mais de 4.000 usuários diferentes cadastrados que já passaram pela ASCOBIKE. Para se associar é necessário o preenchimento de um cadastro com dados pessoais do associado e dados da bicicleta (cor, marca e valor de mercado). Cada bicicleta recebe um número de registro que fica anexado ao quadro da bicicleta em uma pequena placa de identificação. O mesmo número também fica no gancho onde será pendurada a bicicleta e na memória do programa de computador desenvolvido para a associação. Ao guardar a bicicleta o associado se identifica através de seu número e recebe um comprovante de estacionamento da bicicleta. Na saída, o ciclista deve apresentar o mesmo comprovante para retirar a bicicleta do estacionamento (em que consta o nome do associado, a data e horário de chegada, além de mensagens educativas ou informações aos associados). Em caso de perda do comprovante de estacionamento, o associado deverá assinar um documento para retirar sua bicicleta.

 
A ASCOBIKE é uma organização não governamental fundada em 2001 pelo ferroviário Adilson Alcântara, funcionário da Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM), que nesta época ocupava o cargo de chefe da estação e foi encarregado de encontrar uma solução para as 200 bicicletas que ficavam precariamente amarradas todos os dias nas grades da estação do município de Mauá, dificultando a circulação de pedestres e passageiros. A solução encontrada foi organizar os ciclistas, fundar uma associação e construir um bicicletário, ou seja, um local adequado ao estacionamento de bicicletas, onde as pessoas, em sua maioria usuárias do trem, pudessem deixá-las com segurança. Foi solicitada à CPTM a concessão de uma área ociosa, vizinha à estação, localizada sob a passarela de pedestres, para abrigar o bicicletário. Assim nasceu a ASCOBIKE — Associação dos Condutores de Bicicletas de Mauá, e o acordo para concessão do espaço foi firmado. Desde então, o número de adeptos da bicicleta no município só vem crescendo e, a CPTM, reconhecendo a importância do projeto, decidiu expandí-lo a outras estações adotando o sistema da ASCOBIKE como referência.




Porque andar de bicicleta?

1. Poupe tempo

Pedalar distâncias percorríveis em até 30 minutos é mais rápido e prático do que ir de ônibus ou automóvel.

2. Poupe dinheiro
Economize com tarifas de passagens e/ou com a gasolina e o estacionamento.

3. Divirta-se
Aproveite o dia! Enquanto se desloca, você também passeia.

4. Fique saudável e em formaAndar de bicicleta é um ótimo exercício cardiovascular, melhora a circulação e aumenta o tônus muscular.

5. Por um mundo melhorUm veículo movido pela própria força do condutor, sem precisar de nenhum outro combustível. Assim, a bicicleta não emite gases poluentes na atmosfera que causam o efeito estufa e o aquecimento global. O planeta com certeza agradece!



Fonte: ASCOBIKE



Mais informação:
Ciclofaixas x ciclovias
A Automovelcracia de Eduardo Galeano
E se cada família chinesa comprar um carro?
Entre rios: o projeto de transporte fluvial de SP
60 pessoas = 60 carros ou 60 bicicletas ou 1 ônibus

Um comentário:

Walter disse...

Interessantíssimos todos os teus estudos e apontamentos Carol, é grande o prazer conhece-la nesse intermédio. Este referente à Mauá. Que menciono à querida amiga Ana Stoppa que ali e no ABC realiza atividades advocatícias, entre elas Campanhas e estudos sobre o Meio Ambiente Sustentável. E outro sobre o Rio Tietê que li e admirei.
Se lhe for conveniente será uma honra incluí-la em meu facebook onde Ana encontra-se. Meu Face:
Como: Walter de Arruda (Valinhos SP) Obrigado. Muito prazer!