sexta-feira, 24 de abril de 2015

"Verde", além de sexy, é country e impermeável








Há 6 anos quando comecei a escrever o blog, postei sobre minhas botas de couro vegetal em cano curto, para usar de calça, estão inteiras até hoje e suas fotos aparecem na postagem "Verde" é sexy. Três anos se passaram e eu encontrei as botas que queria em cano alto, para usar de saia e legging. Claro que estão novinhas e prontas para muitos anos de uso ainda, suas fotos aparecem na postagem de 2012, "Verde" é muito sexy.
Curiosamente mais 3 anos se passaram e cá estou eu de novo em 2015 com novas botas em material sintético, prontas para o tempo mais fresco que vem por aí. 
Dessa vez, as fotos não foram feitas na escadaria de meu apartamento antigo no Flamengo como nas duas postagens anteriores, mas na área comum do apartamento novo do Maracanã e as botas foram compradas pela internet, não precisei bater perna para encontrar.

Eu gosto muito de bota, uso direto porque acho prático e elegante. Quando comecei a trabalhar embarcada em plataformas, vestia o tradicional macacão laranja ao acordar, calçava aquelas botas pesadas com biqueira de aço embutida e devido registro no Ministério do Trabalho e ficava desse jeito até a hora de jantar, quando tomava meu banho e podia então vestir um moleton. As outras mulheres à bordo, encontravam mil maneiras de driblar a situação, levando outras roupas, aproveitando horários de folga para se livrar do macacão, etc. Nunca me incomodou em nada, sempre achei muito prático e, quando parei de embarcar, senti muita falta de acordar e poder entrar num macacão e calçar umas botas sem ter que pensar no que vestir. Hoje, eu tenho vários macacões, como por sinal está na moda, e sempre que posso, calço botas. Meus macacões não são mais laranja e largos, é claro. E olhando umas fotos antigas de Lauren Hutton, que fez tantos safáris na África, que comprou os macacões dos guardas locais, vejo como a moda é mais influenciada pelos trabalhadores do que imaginamos




Galochas voltaram à moda há alguns anos totalmente repaginadas e caríssimas em versões assinadas por grandes estilistas. Como uma das minhas formações é justamente como Técnica em Segurança no Trabalho, todas as vezes em que procurava uma galocha para seu fim (proteger meus pés da chuva), ficava pensando em como um funcionário de açougue, plataforma, rede elétrica, construção civil e chão de fábrica estaria usando as suas. Via todas aquelas estampas comuns às galochas femininas dessa nova leva fashion, calçava e não ficava à vontade, sentia-me fantasiada. Então, quando encontrei as mais básicas possíveis, escolhi o fornecedor confiável mais barateiro e levei na mesma hora.

As galochas foram finalmente encontradas no Mercado Livre depois de muito procurar e as botas de vaqueiro na Dafiti, ambas sintéticas obviamente.

Outros sites muito bons e seguros para compras são a Passarela e Posthaus, mas não compre em hipótese alguma na Cosse Galochas (ou Armazem 66)- são uma fraude já denunciada e registrada na Polícia Federal. É incompreensível que ainda não tenham retirado o site do ar após tantas denúncias, leia melhor na página exclusiva do facebook, Cosse Galochas, a fraude!

A Melissa, que todas amamos, também fabrica lindas botas plásticas, cheguei a comprar um par há alguns anos mas tive que trocar, pois o modelo específico machucou meu tornozelo. Tomara que você não tenha o mesmo problema, tudo deles é lindo, com design moderno e animal friendly.

A Crocs também fabrica e vende galochas pela internet, mas parece que agora usam o site Netshoes como distribuidor e intermediário.

Eu gostei muito de comprar calçados em materiais sintéticos pela internet, é mais simples do que ficar perguntando para as vendedoras o que é ou não em couro animal. Eu sempre saía das lojas com a sensação de que poderia ter sido enganada quando não comprava das marcas que trabalham exclusivamente com sintético, como a Piccadilly e a Beira Rio, por exemplo. Pelos grandes sites, você pode escolher só o que for fabricado no seu material preferido e ir em frente sem medo.

Comprando qualquer coisa pela internet, pesquise antes as reclamações sobre a empresa no Google, a maioria das empresas mantém páginas no Facebook e os comentários dos compradores são o melhor termômetro.


Dica para quem anda muito e não tem grandes mordomias: comprando botas, leve um número acima, principalmente se for de salto, bico fino ou galocha plástica, que não molda de acordo com o formato do seu pé e não vai amolecer nunca.



Sugestão aos fabricantes, à turma da Gooc por exemplo: Que tal fabricar galochas com e sem salto (anabela para não envergar com o peso) a partir da borracha de pneus reciclados?



Mais informação:
Lenços 
"Verde" é sexy

"Verde" é muito sexy
Jóias são insustentáveis
Animal Print em crochê e tricô
Artigos de couro vegetal em lojas convencionais
Bolsas, sandálias e cintos em pneus e cintos de segurança reciclados
Neurocientistas de todo mundo assinam manifesto reconhecendo consciência em animais

Nenhum comentário: