quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Seu cão come coco? Semente de mostarda nele!

Coprofagia é uma condição canina desagradável.
Pior, é completamente natural um animal comer fezes.
Você dá vermífugo em doses cavalares, compra a ração mais cara, complementa a alimentação com frutas, carnes e grãos... e o animal come fezes da mesma forma.
Não é todo cão que é chegado, Graças a Deus. Mas infelizmente, muitos cães gostam de complementar a alimentação ingerindo as próprias ou fezes de outros cães.

Observe que um cão que ingere fezes caninas regularmente é completamente diferente do cão que nunca teve o hábito e, um dia na pracinha, correu para um arbusto e voltou com a cara toda emporcalhada de fezes com odor que lembra o das fezes humanas.

Lamentavelmente, eu já passei por ambos os casos, são situações completamente diferentes, até porque as fezes dos animais são geralmente secas e a única maneira de detectar o problema de coprofagia de fezes caninas é justamente notando ausência dessas fezes no jornalzinho da área de serviço.
Dos meus 3 cães, apenas um tem o hábito de ingerir com regularidade as próprias fezes ou as fezes dos outros animais da casa. Não adianta dar bronca, é um comportamento complemente natural.

Já o cão que não tem histórico de coprofagia, mas ao sentir o odor de fezes humanas, corre para aproveitar dessa fonte de proteína e carboidratos muito bem temperados e já digeridos, é apenas um animal que prefere a comida preparada à ração e sentiu-se atraído pelo cheiro da refeição que muito provavelmente vem do intestino de um morador de rua. Tampouco adianta tentar adestrar, é fora do controle do animal. A única maneira de evitar é não deixar o animal fora da coleira em áreas habitualmente frequentadas por moradores de rua, os ParCães de todo país, com seus solos em areia costumam ser uma boa opção.
Essa pode ser mais uma ótima razão para não andar com o animal solto nem deixá-lo correndo em parquinhos infantis.

Existem muitas técnicas para minimizar o problema de coprofagia canina. Se o seu cão não tem o hábito de ingerir as próprias fezes e apenas atacou uma ou outra moita, esse texto não é para vocês. Mas se o seu cão ingere as fezes dele e dos outros animais da casa com regularidade, aqui vai a minha experiência que pode ajudar a minimizar o problema.

Pode parecer óbvio, mas não deixar juntar fezes no jornalzinho faz toda a diferença. Diminui as chances.
Animais que passeiam com regularidade tendem a ser menos estressados e com isso, desenvolvem menos compulsões alimentares. Leve o bicho para andar e deixe o canto dele limpo sempre que possível, só isso já vai ajudar muito.

Não adiantou e você está desesperado. Eu pesquisei muito e encontrei 2 sugestões de ordem natural que podem ajudar:
O neem estibion, um fitoterápico com múltiplas aplicações veterinárias, parece que muita gente adota com sucesso. Eu nunca comprei para os meus cães e por isso, vou para a opção mais popular na sugestão abaixo.

Adicionar sementes de mostarda na comida do animal, pois as mesmas fermentariam e com isso as fezes assumem um odor menos atraente ao cão. Eu tentei e realmente funcionou.
Mas se existem vários cães na casa, a ração-comida de todos tem que ser batizada.
Sementes de mostarda são uma especiaria que rende o molho de mostarda fermentado obtido a partir dessas sementes. Quem frequenta feira orgânica já deve ter visto também folhas de mostarda à venda, são a planta resultante dessa sementinha que brotou e ficam deliciosas refogadas como couve à mineira.

As sementes de mostarda podem ser encontradas em empórios gourmet ou casas de granel tradicionais. Alguns supermercados também vendem sementes de mostarda em saquinhos como os de pimenta do reino e orégano.
Quem for leitor mais antigo, sabe que eu nunca comprei um desses saquinhos porque tenho o bom hábito de comprar tudo a granel em quantidade a preços mais em conta, com um mínimo de embalagem.
Então, quando vi na delicatéssen um tubo de ensaio com 30gr de semente de mostarda a R$15,00, nem pensei duas vezes e liguei de lá mesmo para o empório a granel árabe mais tradicional do Rio, a Casa Pedro. Valeu a pena, levei 1kg por uns R$10,00.
Não é toda filial que revende as sementinhas, mas para minha sorte a loja da Tijuca tem em estoque (Conde de Bonfim em frente à entrada social do Tijuca Tênis Clube, estação de metrô Uruguai ou Saens Peña).


Como servir na ração-comida:













Como armazenar, guarde ao lado dos potes e tudo que for relacionado aos animais, para não esquecer na correria antes de sair para o trabalho. Eu já deixo numa antiga meleira de vidro, facilita a rega dos 3 potes comedores.



























Receitas de molho de mostarda caseira sem conservante e açúcar a partir dessas mesmas sementinhas para quem cuida de cães com todo carinho:
Ketchup, mostarda e maionese caseiros (+ uma receita de salada de maionese sem maionese)






Mais informação:
Compras a granel
Microchipei meus cães
Dica sustentável e veterinária do dia: canela e joelho de boi 
Castre seu cão: 1 único casal gera 80.000.000 de filhotes em 1 década 
Comendo a ração que vende - parte 09: caminha de cachorro em pallet

Nenhum comentário: