terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Mina de ardósia abandonada no País de Gales foi transformada no primeiro Parque de Trampolins subterrâneo do mundo


Um dos assuntos do qual eu mais gosto aqui no blog é a reciclagem de edificações antigas. Mas não havia ainda nenhum exemplo de reaproveitamento urbano de minas abandonadas.
Toda forma de mineração, incluindo offshore, constitui o processo industrial mais poluidor inventado pelo homem. Não existe mineração sustentável, até porque o recurso natural não é renovável.

O impacto ambiental resultante dos processos mineratórios não pode ser revertido por nenhum programa de compensação ambiental e às populações locais sobram problemas sociais, econômicos e ambientais que provavelmente se arrastarão por décadas.

O exemplo da mina de ardósia abandonada no País de Gales, que foi transformada no primeiro Parque de Trampolins subterrâneo do mundo, não é a justificativa para começarmos a cavar minas, mas pode ser uma forma de reaproveitar a estrutura abandonada, trazer novos empregos à economia sucateada daquela região (que provavelmente vivia da mineração antes de a fonte secar) e o mais importante, conscientizar as futuras gerações sobre aquele processo industrial específico.






As fotos e imagens em vídeo dessa postagem são de uma mina de ardósia abandonada no País de Gales, após sua transformação no primeiro Parque de Trampolins subterrâneo do mundo.
É um programa para toda família e tornou-se item obrigatório da lista de #MustGo de qualquer aventureiro, mas não é nada recomendado para pessoas claustrofóbicas.
Localizada no Llechwedd Slate Caverns, oferece seis enormes trampolins que são escalados em diferentes alturas. Cada trampolim comporta dezenas de pessoas e pode comportar até uma rave!
Aberto para crianças a partir de sete anos, oferece também uma atração que permite a visita de crianças de três a seis anos.




















Fontes: Inhabitots e Ibtimes





Mais informação:
Como funciona a mineração no Brasil

Nenhum comentário: