segunda-feira, 3 de julho de 2017

Tapetes de Corpus Christi sustentáveis

"É dando que se recebe", São Francisco de Assis

O Estado é laico e a sustentabilidade deve estar acima de qualquer discurso inter-religioso. Independente de questões políticas e ideológicas, sou muito ativa nas paróquias próximas de minha casa, adoro estar em comunidade e acredito que como voluntária, pude frequentar ambientes que não teria acesso em outras circunstâncias, como favelas, distribuição de sopa aos moradores de rua, cestas básicas para prostitutas da zona mais miserável de minha cidade, entre outras atividades que infelizmente não são disputadas pelas pessoas. O Natal mais bonito que passei foi justamente com o Grupo Jovem da Basílica de Santa Terezinha aqui na Tijuca, distribuindo sanduíches para moradores de rua, a experiência, que aparece na postagem sobre o Natal Sustentável, foi tão marcante que entrei para o grupo da distribuição semanal em definitivo pelos anos seguintes.

Esse ano, pude ajudar a Conferência Vicentina do Santuário da Medalha Milagrosa a confeccionar o tapete de Corpus Christi com donativos de leite para um abrigo de Nova Friburgo. Ano passado, eles já haviam feito o tapete com doações de cobertor ao mesmo abrigo. Adorei ambas as ideias, além de estimular as pessoas a doar e poder ajudar a quem precisa (o que dá outra dimensão à data), o tapete é inteiramente sustentável por ser 100% reciclado e reciclável!

Tapetes de Corpus Christi são uma tradição medieval da Igreja e geralmente feitos em serragem e sal tingidos e pó de café. Nas cidades históricas do circuito mineiro, os tapetes passam dias sendo confeccionados e descem toda a ladeira a partir da Igreja Matriz na parte alta da cidade, atravessando a avenida principal. São uma atração turística e para deixar a cidade ainda mais bonita e prestigiar a data, os moradores dos sobrados ainda colocam colchas e mantas coloridas nas janelas.

Aqui no Rio, poucas igrejas continuam seguindo a tradição. Na Tijuca, algumas fazem o tapete tradicional e outras adaptam, o que também é válido, justamente porque o tapete tradicional de serragem e sal tingidos não recicla. Na verdade, o tingimento com tintas sintéticas e derivadas de petróleo torna ambas as matérias primas, serragem e sal, poluentes. O que era um material naturalmente biodegradável e até comestível, no caso do sal e do pó de café, torna-se lixo cinza (que não recicla) e vai sobrecarregar ainda mais os aterros sanitários. Quando não são espalhados pelo vento e chuva, entupindo os bueiros e poluindo os rios do entorno.
Quem fizer muita questão de continuar com o tapete de serragem e sal, pode substituir a tinta sintética por tinta comestível com segurança. Mas, não deixe de varrer a área no domingo à noite.


Os tapetes das quais gostei e recomendo por serem 100% reciclados e recicláveis.

Santuário da Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças, Tijuca (Rio de Janeiro, RJ), 2017. 
Tapete com doações de leite em pó e caixinha em base dos ramos do Domingo de Ramos que haviam sobrado. Se for fazer na sua paróquia, oriente a doarem leite em pó em saco ou lata. Leite em caixinha, além de gerar uma embalagem que não recicla como o tetrapack, é muito mais pesado para carregar pelas escadarias comuns em igrejas. Fotos minhas 











Paróquia dos Sagrados Corações, Tijuca (Rio de Janeiro, RJ), 2017. 
Tapete 100% reaproveitável em papelão, papel metálico, acamurçado sintético e retalhos de tecido. As flores eram naturais e podem ser substituídas. Paróquias que tiverem pastorais como Catecismo, Primeira Comunhão, Crisma e Grupos de Jovens podem colocar os jovens para fazer os tapetes, deixando aos adultos a tarefa de arrumar. Fotos minhas





Santuário da Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças, Tijuca (Rio de Janeiro, RJ), 2016.
Tapete confeccionado com cobertores doados pela comunidade. Fotos da Conferência Vicentina.







Ano passado, eu estava à trabalho em Ribeirão Preto, SP, no Corpus Christi, então aproveitei a data para visitar uma atração local, o Santuário das Sete Capelas no Morro de São Bento e vi um lindo tapete circular ao ar livre todo em pallets com serragem natural apenas nas bordas, muito prático em se tratando de ambiente ao ar livre. Fotografei na época, mas não lembro onde salvei as fotos. Encontrei algumas imagens no Google Images que mostram bem o local.
Fontes: Veja fotos da comemoração de Corpus Christi em Ribeirão Preto e Artista plástico Fernando Iozzi trabalha na decoração e Corpus Christi







Continuei pesquisando no Google Images e encontrei outras duas versões interessantes, mantas de fuxico compondo imagens sacras em mosaico e mosaicos de retalhos. Ambos podem ser 100% reaproveitados nos anos seguintes. As bordas podem ser em serragem ao natural, plantas ou mesmo flores de tecido que não deterioram e também serão reaproveitadas no ano seguinte.







Mas, os meus favoritos são realmente os tapetes de donativos e fiquei muito feliz em ver que em outras cidades do Brasil, ele também vem sendo feito.
Fontes das imagens:
Corpus Christi, em Caxias, tem tapete de cobertores
Celebração reunirá paróquias no Parque Eduardo Gomes
Solidariedade forma tapetes de Corpus Christi em Rolante
Milhares de fiéis prestigiam Corpus Christi em Montes Claros









O que significa a data de Corpus Christi no Calendário Católico: https://pt.wikipedia.org/wiki/Corpus_Christi




Para viver a alegria dessas festas de forma sustentável ao longo do ano todo:
Natal Sustentável
Festas Juninas sustentáveis
Páscoa em paz com o resto do mundo
Boa ação de Natal: Papai Noel dos Correios
Boa ação de Natal: Dando de comer a quem tem fome
Boa Ação de Natal: Dê um destino nobre ao seu 13º, doe uma parte



Mais informação: 
Tetrapack não recicla
Flores não são verdes
Como funciona um aterro sanitário
A praga da reciclagem artesanal: não é sustentável e é horrível
Nos 20 anos da Chacina da Candelária: Procura-se Aparecida e Dalila Ribeiro da Silva
Incensos e Aromatizadores de ambiente não são sustentáveis: o mundo também é o que você cheira
"Louvado seja", Encíclica ecológica do Papa Francisco: que mundo queremos deixar para quem vai nos suceder?

Nenhum comentário: